Candidatura do PS quer obras na freguesia de Entradas

Candidatura do PS quer

A candidatura do PS em Castro Verde vai avançar rapidamente com as obras da nova sede da Junta de Freguesia de Entradas e da sede do Entradense caso ganhe as eleições.
A garantia foi dada esta quinta-feira, 19, pelo candidato socialista à Câmara de Castro Verde, António José Brito, durante uma conferência de imprensa na vila de Entradas em que mostrou aos jornalistas o estado de degradação do imóvel onde está prevista a instalação da nova sede da Junta de Freguesia, da sala de jogos da sede da Sociedade Recreativa e Desportiva Entradense e do edifício dos antigos Paços do Concelho de Entradas.
“Estamos a falar de problemas concretos que nos últimos oito anos não foram resolvidos em Entradas. Isto demonstra bem o modo como a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal não têm tratado destes problemas”, argumentou.
No caso do prédio em que deverá ser instalada a nova sede da Junta de Freguesia, o candidato do PS criticou a sua situação “de total degradação” e “abandono”, garantindo ser “um ninho de bichos e um foco de problemas no plano sanitário”.
“Além de não se construir a sede da Junta de Freguesia, nem sequer se tem o cuidado de fazer a limpeza e cuidar daquele espaço como deve ser”, disse António José Brito, garantindo que, em caso de vitória do PS na noite eleitoral de 29 de Setembro, a Câmara de Castro Verde irá “avançar rapidamente” com uma candidatura a financiamento “para poder avançar com as obras” e instalar a Junta de Freguesia “de modo condigno e em instalações adequadas”.
Relativamente à sala de jogos da Sociedade Recreativa e Desportiva Entradense, o cabeça-de-lista do PS lamentou que a sala esteja vedada ao público devido ao facto dos telhado estar “a cair” e haver “infiltrações de água por todo lado”.
“Se não for resolvida esta situação, no próximo Inverno o telhado dificilmente resistirá”, afiançou António José Brito, assumindo o compromisso de com a sua liderança a autarquia fazer uma candidatura para a obra finalmente avançar.
“E enquanto não houver aprovação de financiamento, a própria Câmara Municipal assumirá essa responsabilidade, porque tem meios financeiros para o fazer e avançar com obras imediatas que salvaguardem o edifício e salvaguardem as pessoas e os sócios que o frequentam diariamente”, concluiu.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima