Câmara de Odemira vai promover “Fórum do Território”

Promover a participação de todos os cidadãos do concelho “nas decisões sobre o território, de acordo com objetivos comuns”, é o objetivo do “Fórum do Território”, iniciativa da Câmara de Odemira que arranca no próximo sábado, 27.

A primeira sessão do “Fórum do Território” está agendada para as 16h00 e vai decorrer no Mercado Municipal de Odemira, estando as inscrições abertas até quarta-feira, 24, pelo link https://www.cm-odemira.pt/p/forumdoterritorio.

Em comunicado, a autarquia explica que o “Fórum do Território” pretende ser um espaço que assegure “que todos, cidadãos e entidades” possam participar “na definição de estratégias e iniciativas e se envolvam nas decisões sobre o território, de acordo com objetivos comuns”. 

Nesse sentido, nesta primeira sessão serão apresentados os principais objetivos da iniciativa e definido “o seu modelo de participação e organização”, “a visão para o território”, e “a identificação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) considerados prioritários para o concelho”.

A autarquia acrescenta que o “Fórum do Território” será um espaço “de codefinição de estratégias e de iniciativas rumo à sustentabilidade do concelho”, atuando “de acordo com os princípios da democracia participativa, onde os cidadãos e as entidades tomam parte das decisões sobre o território, assumindo e partilhando responsabilidades na sua gestão de acordo com objetivos comuns”.

Nesse âmbito, ao Fórum “caberá a tarefa de definir uma Agenda Territorial Local a partir de uma visão integrada que articule as dimensões ambientais, sociais e económicas, estabelecendo as prioridades de desenvolvimento a partir de um trabalho em rede, com parceiros locais e supramunicipais”.

Segundo a Câmara de Odemira, “os grandes desafios globais também locais” e, por isso, o “Fórum do Território” irá prosseguir “os ODS e a Agenda Territorial 2030 europeia”.

Em simultâneo, o Fórum “promoverá a articulação de vários instrumentos legais e a organização de iniciativas participativas para assegurar o envolvimento de todos, através da partilha de conhecimento e experiências pelos cidadãos, atores territoriais e especialistas convidados – e o diálogo entre as partes”.

A ideia é, frisa a autarquia, “responder ao desafio de inovar a gestão territorial, construindo, partilhando e disseminando conhecimento e informação de base técnica que permita a valorização do património natural e cultural como motor da qualidade da paisagem, da saúde e do bem-estar dos seus residentes e visitantes”.

A Câmara de Odemira sublinha que “a definição e implementação de uma infraestrutura verde e azul, não só para uma mais eficiente gestão da água, mas, também, da conservação do solo e da biodiversidade, a elaboração de uma estratégia de planeamento alimentar local ou o incremento do turismo responsável, são apenas exemplos de iniciativas de base territorial que o Fórum poderá promover”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima