Câmara de Odemira repudia violência sobre migrantes

A Câmara de Odemira veio a público repudiar “toda e qualquer forma de violência e todos os comportamentos que não respeitem os direitos humanos”, depois de nesta quinta-feira, 16, terem sido denunciados casos de alegada agressão de militares da GNR contra cidadãos imigrantes residentes no concelho.

Em comunicado, o presidente da autarquia, Hélder Guerreiro, “lamenta profundamente o sucedido” e deixa “uma palavra de solidariedade para com os cidadãos imigrantes visados”, acrescentando “que as pessoas são o recurso mais valioso de Odemira, um território de inclusão e interculturalidade”.

No comunicado, Hélder Guerreiro diz confiar “na justiça e nas diferentes instituições responsáveis”, defendendo “que o assunto deve ser tratado até às últimas instâncias para apurar a verdade, as devidas responsabilidades e consequências”.

O autarca acrescenta ainda acreditar “que os factos relatados não refletem a normal atuação da GNR”, entidade com a qual os eleitos em Odemira “têm sempre mantido uma relação de colaboração e respeito, sendo importante que se mantenha a confiança nas forças de segurança”.

Por fim, Hélder Guerreiro lamenta que Odemira “continue a ser notícia pelas piores razões, uma vez que este é um território gerador de boas práticas, de boas gentes, de uma natureza ímpar, uma gastronomia única, capaz de atrair anualmente milhares de visitantes”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima