Câmara de Odemira premeia jovens empresárias

Câmara de Odemira

Tânia Neves está a criar uma loja online de produtos tradicionais e Lina Brissos já tem a funcionar o seu salão de cabeleireira móvel: dois projectos que fizeram destas mulheres as vencedoras da edição deste ano dos prémios "Espírito Empreendedor".
A iniciativa foi promovida pela Câmara de Odemira, sendo que o prémio "Ideia Empreendedora e Criativa" foi para Tânia Neves, 31 anos, que vive e trabalha em Sabóia, freguesia no interior do concelho de Odemira. E foi a realidade com que convive diariamente que a fez ter a ideia premiada: uma loja online que faça chegar os produtos tradicionais do concelho de Odemira, do mel às compotas, passando pelo medronho ao artesanato, a todo o mundo.
"No dia-a-dia, se quisermos comprar qualquer coisa destas temos muita dificuldade em encontrar", explica a jovem empreendedora ao "CA".
O projecto "Odemira + Perto" ainda está em fase embrionária, mas Tânia Neves reconhece que os produtores com quem já falou aderiram de imediato. "Acham bem, pois esta é uma forma de divulgar o seu produto e poderá aumentar as suas vendas", diz, garantindo que o prémio de 2.000 euros agora recebido "é um bom incentivo". "E o facto de a ideia ser premiada também dá alguma segurança, pois mostra que o negócio poderá ter boas condições para andar", acrescenta.
Já o prémio "Novas Iniciativas Empresariais" foi para Lina Brissos, de 34 anos, que com cerca de década e meia de experiência em cortes e penteados decidiu arriscar por conta própria. E foi assim que em Março de 2016 saiu pela primeira vez ao volante do seu salão de cabeleireira móvel, que leva às aldeias do concelho de Odemira onde não existe este tipo de estabelecimento.
"Até agora o projecto tem corrido bem, a população tem-me recebido de braços abertos e não tenho mãos a medir", conta a cabeleireira natural da freguesia de Relíquias.
Ao princípio muitos estranharam aquela carrinha transformada em salão de cabeleireira, mas hoje já ninguém se admira quando Lina Brissos chega à sua aldeia. E até já colocam isso na agenda.
"As pessoas estão a habituar-se à marcação e assim é melhor, pois já sei com que trabalho conto", diz a cabeleireira, que ficou orgulhosa com o prémio de 1.500 euros atribuído pela Câmara de Odemira. "É o reconhecimento do meu trabalho e do meu esforço. E é uma ajuda para divulgar este negócio", diz.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima