Câmara de Castro Verde enfrenta ano “muito exigente”

Câmara de Castro Verde

A Câmara de Castro Verde vai ter em 2018 “um ano muito exigente e difícil”, contando para tal com um orçamento de 11,9 milhões de euros, já aprovado na Câmara e pelos eleitos da Assembleia Municipal.
Em comunicado, o Município sublinha que a elaboração dos documentos “decorreu no âmbito de um quadro que não é nada simples para a autarquia”, uma vez que a “par dos volumosos compromissos para pagar a curto e médio prazo, registados no final do mandato 2013-2017”, foi confrontada “com a eliminação das transferências da Autoridade Tributária, em sede de Derrama, de uma verba volumosa, na ordem de 1.314.104,78 euros, o que representa um problema acrescido e muito preocupante”.
Além do mais, acrescenta a Câmara de Castro Verde, “há obras adjudicadas cujo financiamento não está garantindo na totalidade e não terão apoio de fundos comunitários”, casos das empreitadas da Estrada Municipal 508 (Castro Verde/ Santa Bárbara) e do Caminho Municipal 1139 (Santa Bárbara/ Mina de Neves-Corvo), adjudicadas por 1.372.669,00 euros, sendo que a Câmara “somente tem financiamento assegurando no valor de 460.000,00 euros”.
“É, portanto, neste contexto de dificuldades e de acentuada exigência orçamental que vamos enfrentar o ano de 2018”, observa a Câmara de Castro Verde, que ainda assim afirma estar “fortemente empenhada no sentido de alcançar até 2021 a execução da proposta política que a actual maioria apresentou à população”.
Nesse sentido, em 2018 a autarquia castrense vai assegurar os acordos de cooperação com todas as juntas de freguesia do concelho, contemplando inclusive obras nas freguesias, e pretende avançar, “de modo gradual mas consolidado”, com a concretização dos projetos inscritos no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) de Castro Verde.
Na área da Educação, as prioridades serão a criação de um projecto de ensino pós-graduado no concelho, a requalificação da Escola Secundária e o auxílio directo aos estudantes, enquanto na Área Social é intenção da autarquia promover “o planeamento de respostas atempadas aos casos de evidente fragilidade e pobreza existentes no concelho”.
Em matéria de Cultura, Lazer e Desporto, será mantida a programação regular em todo o concelho e a continuidade, “com visão inovadora e criativa”, de eventos como a “Primavera no Campo Branco” ou as Festas da Vila. “Por outro lado, a autarquia vai fortalecer a Feira de Castro como grande ‘marca’ do concelho e valorizar o borrego como produto ’emblemático’ da agro-pecuária do concelho”, acrescenta o Município.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima