Beja: Autor de disparos em tribunal na terça

Beja: Autor de disparos

O suspeito de ter baleado a mulher e um rapaz, no domingo, 27, em Beja, vai ser presente na terça-feira de manhã ao Tribunal Judicial da cidade para aplicação de medidas de coacção.
António Brito, de 46 anos, que vai ser interrogado por uma juíza de instrução criminal, é suspeito de dois crimes de homicídio na forma tentada e de posse de armas proibidas, indicaram fontes policiais à Agência Lusa.
O homem foi encontrado pela PSP de Beja, pouco depois das 20h00 de domingo, junto a uma pensão da cidade, onde estava hospedado com um nome falso, e entregue à Polícia Judiciária, que procedeu à detenção.
A mulher, Maria Helena Brito, de 53 anos e o filho, Rui André, de 14d sofreram ferimentos graves ao serem baleados na via pública, na Rua Afonso de Albuquerque, junto à Casa da Cultura de Beja, tendo o alerta sido recebido pelos bombeiros às 13h47.
As vítimas foram transportadas para o hospital da cidade, apresentando "um quadro clínico muito grave, na sequência de ferimentos provocados por arma de fogo", e, depois, transferidas de ambulância para hospitais centrais em Lisboa para receberem cuidados diferenciados.
Fontes hospitalares indicaram à Lusa que a mulher encontra-se na unidade de neuro-críticos do Hospital de São José, enquanto o filho foi transferido para o Hospital de Santa Maria.
A mulher, que seria o alvo do suspeito (marido ou companheiro), foi atingida com cinco tiros e o rapaz, que estuda na Casa Pia, tem uma bala alojada na cabeça, referiram as fontes policiais.
O suspeito foi "apanhado de surpresa" pouco depois das 20h00 de domingo, por elementos da Esquadra de Investigação Criminal da Polícia de Beja e entregue a inspectores da Directoria do Sul da PJ, que procederem à sua detenção.
De acordo com as fontes, a polícia apreendeu duas armas na posse do homem, uma delas na pensão. A outra, uma pistola, terá sido a utilizada pelo suspeito e estava escondida numa casa de banho pública.
Ambas as armas foram entregues aos inspectores da PJ.
As mesmas fontes contactadas pela Lusa avançaram a possibilidade de na origem do crime estarem motivos passionais.
Segundo o relato das fontes, o homem, agricultor, e a mulher viviam num monte na zona de Benavente, sendo considerada uma família problemática e haverá suspeitas de violência doméstica.
A mulher terá fugido de casa na última segunda-feira e refugiou-se em casa de familiares em Beja, cidade onde o suspeito a encontrou no domingo, depois de a procurar desde quarta-feira, contaram as fontes.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima