Autarca de Odemira exige “fim imediato” da cerca sanitária

O presidente da Câmara de Odemira vai exigir ao Governo o “fim imediato” da cerca sanitária decretada para as freguesias de São Teotónio e de Longueira/Almograve, por considerar que “a situação está controlada” no concelho.

Segundo José Alberto Guerreiro, “estão reunidas as condições” para levantar a cerca sanitária “de imediato e não apenas na quinta-feira”.

“Há oito concelhos que estão com índices superiores a Odemira”, pelo que “não vemos razão nenhuma para se manter esta cerca e acho que deve acabar de imediato”, frisa o edil, acrescentando: “Estamos em crer que esta situação terminará rapidamente se houver bom senso”.

José Alberto Guerreiro diz ainda que o concelho de Odemira está abaixo dos 240 casos por 100 mil habitantes, sendo que na freguesia de Longueira/Almograve “o índice de infeção é zero”, uma vez que “desde o início da cerca não houve nenhum novo caso”.

Já em São Teotónio o índice de infeção é de 550 casos por 100 mil habitantes, com José Alberto Guerreiro a explicar que esta freguesia tem “muito mais população a trabalhar e residente do que aquela que entra no cálculo”.

“Com os índices de vacinação e de testagem que já apresentamos e com os valores que são referidos, tanto para o concelho, como para a zona da cerca sanitária, há condições para acreditar que estamos com a situação sanitária controlada”, conclui o presidente da Câmara de Odemira.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Odemira promove cidadania ambiental

Alertar as comunidades “para o problema dos resíduos”, para que os cidadãos “se tornem agentes de mudança”, é o grande objetivo do projeto “A Rua

Role para cima