Assembleia Geral extraordinária da AF Beja debate futebol de formação

Assembleia Geral extraordinária da AF Beja debate futebol de formação

Devem, ou não, os clubes que militam no campeonato distrital da 1ª divisão ser obrigados a inscrever uma equipa nos escalões de formação?
Esta é, na prática, a grande questão que vai estar sobre a mesa durante a Assembleia Geral extraordinária da Associação de Futebol de Beja (AFB), agendada para esta quinta-feira, 12, a pedido da direcção da instituição.
O caso “rebentou” depois dos presidentes do FC São Marcos e do Panóias, Manuel Batista e Luís Martins, respectivamente, terem afirmado publicamente que as suas equipas dificilmente entrariam no “Distritalão” de 2012-2013, dada a impossibilidade de reunir jovens suficientes para garantir uma equipa nos escalões de formação.
“É um grande problema para nós, pois é difícil para um clube como o FC São Marcos ter camadas jovens. Onde é que vou arranjar miúdos?”, questiona Manuel Batista, corroborado pelo seu homólogo de Panóias.
“A AFB devia ver, juntamente com os clubes, que não se pode comparar São Marcos ou Panóias a vilas como Castro Verde, Serpa ou Vidigueira, que são sedes de concelho e onde vive muita juventude”, argumenta Luís Martins.
A situação é complexa e levou os responsáveis pela AFB a convocarem a reunião magna de associados para esta quinta-feira, numa sessão que irá analisar e discutir uma eventual alteração dos pontos do Regulamento de Provas Oficiais (POR) relacionados com a questão, nomeadamente o 101.18 (e respectivo parágrafo único), que prevê que a partir desta época “o clube que não cumprir o estipulado no ponto 101.17 não poderá participar no campeonato distrital da 1ª divisão de seniores”.
A resolução do problema promete, contudo, ser pouco pacífica, uma vez que há clubes que apoiam a alteração dos regulamentos e outros emblemas que são claramente contra qualquer mudança de regras.
Entre estes estão, por exemplo, o Sp. Cuba, o Guadiana de Mértola, equipas que até poderão, eventualmente, beneficiar das desistências de FC São Marcos e Panóias do campeonato distrital da 1ª divisão.
“Como o nosso desporto é todo amador, deve-se dar apoio às camadas jovens. Senão é que se acaba mesmo com o futebol distrital a nível dos seniores!”, justifica o presidente dos “leões” de Cuba, António Machado, garantindo que o seu clube não pretende ficar no “Distritalão” através deste “expediente” burocrático.
Do outro lado da “barricada” estão, naturalmente, o FC São Marcos e o Panóias, assim como o Rosairense e o FC Castrense, que apesar de contar com equipas em todos os escalões admite uma revisão da legislação.
“Não sou contra a alteração do RPO, nem pouco mais ou menos. Porque há localidades que não conseguem de forma alguma arranjar equipas de futebol juvenil de um momento para o outro”, justifica o presidente do emblema de Castro Verde, Carlos Alberto Pereira.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima