Alentejo já teve cerca de 138 mil consultas de telemedicina

Alentejo já teve cerca de 138 mil consultas de telemedicina

Cerca de 138 mil teleconsultas realizadas no Alentejo é o balanço do Programa de Telemedicina da região, com capacidade para duplicar a sua produção, anunciou o coordenador regional do programa, o médico Luís Gonçalves.
De acordo com este responsável, o programa, iniciado em 1999 com a implementação de teleconsultas por vídeo-conferência nos distritos de Évora e Beja, constituiu um projecto pioneiro a nível nacional.
O "êxito da iniciativa", segundo Luís Gonçalves, levou a Administração Regional de Saúde (ARS) a ampliá-la ao distrito de Portalegre em 2008, investindo no melhoramento das plataformas tecnológicas.
As actuais 26 plataformas de telemedicina, que ligam hospitais e centros de saúde do Alentejo em rede, permitem que doentes de várias especialidades sejam observados, diagnosticados e tratados o mais próximo possível da sua casa ou do seu local de trabalho.
Serpa, Castro Verde, Moura e Odemira (no distrito de Beja), Alandroal, Estremoz, Montemor-o-Novo, Mora, Reguengos de Monsaraz, Vendas Novas e Vila Viçosa (distrito de Évora) e Castelo de Vide, Nisa, Ponte de Sor, Portalegre e Campo Maior (distrito de Portalegre) são as localidades em cujos centros de saúde funcionam as teleconsultas.
As especialidades envolvidas na telemedicina são a cardiologia, dermatologia, neurologia, fisiatria, pediatria, cirurgia geral, medicina interna, diabetes, traumatologia, ortopedia, cirurgia pediátrica, gastroenterologia e oncologia.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima