AgdA vai remover lamas de ETARs em Aljustrel, Mértola e Odemira

A Águas Públicas do Alentejo (AgdA) adjudicou à empresa BioSmart-Soluções Ambientais a empreitada de remoção de lamas das lagoas das estações de tratamento de águas residuais (ETAR) de Rio de Moinhos (Aljustrel), Mina de São Domingos (Mértola), Almograve e Campo Redondo (Odemira).

Segundo a empresa, os trabalhos vão decorrer “faseadamente” e com “um prazo de 180 dias”, num investimento avaliado em 365 mil euros.

No caso das ETAR de Rio de Moinhos e Mina de São Domingos, “após drenagem da camada superficial, a remoção de lamas será efetuada com recurso a meios mecânicos do tipo giratória com balde de limpeza sem dentes e lagartas de borracha (ou equivalente), de modo a não danificar as telas, após secagem natural na lagoa”.

Já nas ETARs de Almograve e de Campo Redondo, “após a drenagem superficial, a limpeza e a remoção das lamas acumuladas no interior da lagoa arejada serão efetuadas com recurso a jangada com bombagem para aspiração de lamas e envio para uma unidade de desidratação móvel a instalar pela BioSmart”, acrescenta a empresa.

A ETAR de Rio de Moinhos serve esta localidade do concelho de Aljustrel e foi dimensionada para tratar as águas residuais urbanas correspondentes a cerca de 2.000 habitantes, tendo entrado em funcionamento no ano 1992.

Por sua vez, a ETAR da Mina de São Domingos encontra-se em funcionamento desde 2004 e está dimensionada para uma população de 3.500 habitantes, tendo uma capacidade de tratamento de 315 m3/dia.

A ETAR de Almograve serve as populações de Almograve, Cruzamento do Almograve e Longueira, tendo sido dimensionada para tratar as águas residuais urbanas correspondentes a cerca de 1.247 habitantes, enquanto a ETAR de Campo Redondo serve apenas a localidade que lhe dá nome e abrange cerca de 113 habitantes.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima