16h22 - sexta, 06/11/2020

Frustrações e compensações


Vítor Encarnação
V ivemos entre estes dois mundos. Um pé num, o outro pé no outro. E entre os pés, a meio de nós, há um buraco fundo, um precipício negro, e o objetivo da nossa vida, ainda que não o saibamos, é não cairmos para dentro dele.
E cada um, à sua maneira, agarra-se às margens do abismo como pode. Inventando pontes, sonhando acordado, amortecendo a queda, tomando comprimidos ou escrevendo.
Assim que começamos a ter noção da relação que há entre o presente, o passado e o futuro, logo que começamos a ter memória e expetativas, papéis a desempenhar, supostas honras a defender, ideias de metas e de adversários, dá-se início ao suplício. Aproveitando o instinto de sobrevivência e os valores que nos são metidos no corpo, misturados com a sopa, a missa e as aulas, logo tratamos de separar o bem do mal, a rosa dos espinhos, a carne do osso, deus do diabo, os amigos dos inimigos, a dor do prazer. Ou seja, tratamos de abrir crateras, de erguer muros, traçar fronteiras, afirmar descriminações, para pensarmos que temos os dois pés bem assentes no chão. No nosso chão, esse confortável e cínico quintal sagrado, onde crescem as flores mais bonitas e mais cheirosas ao lado da erva daninha do egoísmo e da presunção.
E, atados aos carris onde nos puseram, alucinados nesse caminho que é a vida em sociedade, nessa disputa, não nos apercebemos que por causa das frustrações andamos, diariamente, a comer compensações às talhadas como quem engole colheradas de óleo de fígado de bacalhau. Para fazer bem aos olhos. Mas nós continuamos a não conseguir ver o que está para lá do espelho de enganos. Continuamos a não conseguir ver que vivemos entre esses dois mundos, num equilíbrio feito de faz de conta.
O que é preciso é ir em frente. Compensando, compensando. Inventamos realidades. Criamos cenários. Ditamos regras. Prometemos éter. Despachamos. Punimos. Protegemos. Bebemos para esquecer. Temos poder. Altas cilindradas. Televisores de não sei quantas polegadas. Mandamos. Exigimos. Impomos. Impamos. Trememos de excitação se tivermos "Dr." antes do nome. Pomos e dispomos. Inchamos com os nossos apelidos de relevo. Apontamos soluções. Corrigimos. Queremos ser o topo da pirâmide. O Rei-Sol, Ícaro, Fénix. Isto tudo, como já sabemos, feito só com um dos pés. O outro, esse pé frágil, esse calcanhar de Aquiles, está a pisar terra traiçoeira. Essa terra chama-se "Eu", chama-se inquietação, chama-se o nosso nome, chama-se memória, chama-se dúvida, chama-se consciência. E como não queremos que vejam este pé enjeitado e escorregadio, inventámos aquela expressão de fazer as coisas com uma perna às costas.
Eu é que já não sei com que pé escrevi este texto.

O autor utiliza o novo
acordo ortográfico



Outros artigos de Vítor Encarnação

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - segunda, 30/11/2020
Caso de Covid-19 na
EB 2,3/ S de Ourique
Um funcionário da Escola Básica (EB) 2,3/Secundária de Ourique testou positivo ao novo coronavírus da Covid-19, revelou neste sábado, 28 de Novembro, a Câmara Municipal local.
07h00 - segunda, 30/11/2020
Dia das Cidades
Educadoras em Odemira
Partilhar as aprendizagens geradas ao longo destes 30 anos "de experiência e colaboração no território odemirense" é o desafio lançado pela Câmara de Odemira no âmbito das comemorações do Dia Internacional das Cidades Educadoras, que se assinala nesta segunda-feira, 30 de Novembro.
07h00 - domingo, 29/11/2020
Centro de Acolhimento a
Micro-empresas de Aljustrel lotado
O Centro Municipal de Acolhimento a Micro-empresas (CMAME) de Aljustrel atingiu a sua capacidade máxima de lotação, depois da concessão, no final da passada semana, de mais duas oficinas, revelou a Câmara Municipal local.
07h00 - sábado, 28/11/2020
Saúde: PS Baixo Alentejo alerta Governo para carências na região
O presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS considera que a região "continua a sofrer de uma carência ao nível dos serviços de saúde", tendo transmitido isso mesmo aos secretários de Estado da Defesa e da Saúde, Jorge Seguro Sanches e António Lacerda Sales, respectivamente, durante a visita que os dois governantes realizaram esta sexta-feira, 27, a Beja.
07h00 - sábado, 28/11/2020
Câmara de Castro Verde
com empréstimo aprovado
A Assembleia Municipal de Castro Verde aprovou nesta sexta-feira, 27, por maioria, a contratação por parte da Câmara Municipal de um empréstimo bancário, no valor de 600 mil euros, para fazer obras no concelho.

Data: 20/11/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial