11h55 - quinta, 05/10/2017

Povo falou, o PS ganhou


Pedro do Carmo
O Baixo Alentejo foi a votos para escolher as mulheres e os homens que vão gerir as freguesias e os municípios das nossas terras, nos próximos quatro anos.
O Povo votou e deu uma grande vitória ao Partido Socialista. Renovou a confiança nas lideranças do PS nos municípios de Aljustrel, de Almodôvar, de Ferreira do Alentejo, de Mértola, de Odemira e de Ourique, conferiu novas responsabilidades de gestão aos eleitos socialistas em Barrancos, em Beja, em Castro Verde e em Moura.
O PS conquistou mais votos, mais mandatos, mais câmaras e mais freguesias. O PS é hoje, no Baixo Alentejo e no país, o maior partido autárquico. No Baixo Alentejo passou a ter a liderança de 10 municípios num total de 14 autarquias locais ao nível municipal.
O Povo falou e valorizou as equipas e as propostas que o PS apresentou, com um compromisso de proximidade, de trabalho em defesa das nossas terras e do nosso Mundo Rural, sempre tendo como foco a construção de soluções e de respostas para as pessoas.
O Povo escolheu autarcas comprometidos com a defesa do melhor para as suas terras, num quadro de disponibilidade para trabalhar com o Poder Central e com outras instituições em soluções que melhorem a qualidade de vida dos cidadãos, que respondam aos desafios do Interior e que valorizem o potencial produtivo do nosso Mundo Rural. Escolheu quem não coloca os interesses partidários ou os preconceitos ideológicos à frente de soluções de compromisso que respondam às necessidades das populações e dos seus territórios.
Depois da esperança devolvida nas eleições legislativas de 2015, do trabalho que tem estado a ser desenvolvido pelo Governo do PS, reabre-se um novo ciclo de confiança, de responsabilidade e de compromisso.
Confiança para continuar a trabalhar de forma sustentada para superar o desleixo de anos do Poder Central em relação ao Interior e ao nosso Baixo Alentejo, apenas invertido com investimentos concretizados em anteriores governos do PS que, por exemplo, deram o impulso decisivo para a concretização do Alqueva. Com noção da realidade dos condicionalismos da governação e dos compromissos internacionais do país, é fundamental consolidar um plano de medidas concretas para valorizar o Interior, afirmar o nosso Mundo Rural e desembrulhar projectos que se encontram suspensos ou a meio gás.
Responsabilidade para corresponder às expetativas de trabalho, de proximidade e de capacidade de construção de soluções que os eleitores nos conferiram para os próximos anos, com respostas sólidas, sustentáveis e de futuro.
Compromisso para mobilizar todas as nossas capacidades numa gestão política centrada nas pessoas, na valorização do território e na afirmação das marcas da nossa identidade como terra de memórias e de tradições, com uma forte capacidade de resiliência às dificuldades, de criação de produtos de excelência e de disponibilidade para inovar. O nosso único compromisso central é com o Baixo Alentejo.
As vitórias do Nélson Brito (Aljustrel), do António Bota (Almodôvar), do João Serranito Nunes (Barrancos), do Paulo Arsénio (Beja), do António José Brito (Castro Verde), do Luís Pitta Ameixa (Ferreira do Alentejo), do Jorge Rosa (Mértola), do Álvaro Azedo (Moura), do José Alberto Guerreiro (Odemira) e do Marcelo Guerreiro (Ourique), a par das muitas vitórias nas freguesias e nas uniões de freguesias, são motivo de orgulho, de sentido de responsabilidade e uma enorme inspiração para prosseguir o trabalho na defesa do Baixo Alentejo e dos baixo-alentejanos.
Aos que ainda não conseguiram a desejada vitória é tempo de, na oposição, continuar a dar o seu melhor para encontrar soluções em sintonia com as populações. Saúdo, reconhecido pelo contributo cívico, o combate político travado pelo Fernando Viola (Alvito), Luís Barriga (Cuba), Manuel Soares (Serpa) e José Miguel Almeida (Vidigueira) em defesa de uma gestão diferente para as suas terras. Como dizia Mário Soares, "só é derrotado quem desiste de lutar".
Ao Aníbal Reis Costa que, por limite de mandatos, concluiu uma série de três mandatos de grande transformação no concelho de Ferreira do Alentejo, o nosso reconhecimento pelo impulso cívico e político dado à sua terra e ao Baixo Alentejo. A obra e a competência reveladas são activos pessoais e comunitários que são um orgulho para o PS.
Estamos gratos pela confiança dos eleitores nestas eleições Autárquicas e tudo faremos para honrar os mandatos agora conferidos.
Passadas as campanhas e as eleições, é tempo de regressar ao trabalho em defesa das pessoas e da nossa terra, com o orçamento de Estado para 2018 no horizonte e com a descentralização de competências e meios do Poder Central para as autarquias locais. Como sempre só nos vai mover, a defesa do melhor para quem cá vive, estuda e trabalha.



Outros artigos de Pedro do Carmo

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - segunda, 23/10/2017
Tomada de posse em
Ferreira do Alentejo
O socialista Luís Pita Ameixa regressa nesta segunda-feira, 23, à presidência da Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo, depois do PS ter vencido as eleições Autárquicas no concelho a 1 de Outubro.
00h00 - segunda, 23/10/2017
Campanha para apoiar
vítimas de incêndios
A Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) tem a decorrer uma campanha de angariação de donativos destinados às vítimas dos incêndios que afectaram os distritos de Viseu e Coimbra na passada semana.
00h00 - segunda, 23/10/2017
IPBeja tem estudantes
de 13 nacionalidades
São 13 os países estrangeiros representados na comunidade estudantil que neste novo ano lectivo de 2017-2018 vai frequentar o Politécnico de Beja (IPBeja), adianta ao "CA" fonte oficial do instituto.
00h00 - segunda, 23/10/2017
Barbearia "descontraída"
na vila de Castro Verde
A nova Barbearia Barras está de portas abertas há três meses na rua Fialho de Almeida, no centro de Castro Verde, e pretende ser um "espaço de descontracção" para quem lá passa.
19h07 - domingo, 22/10/2017
FC Castrense vence
no terreno do Oriental
O FC Castrense foi o grande destaque da sétima jornada da Série E do Campeonato de Portugal/ Prio, realizada neste domingo, 22, ao ir a Lisboa impor a primeira derrota na prova ao histórico Oriental.

Data: 13/10/2017
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial