12h10 - quinta, 12/05/2016

A família na missão da Igreja Católica


D. António Vitalino Dantas
No Alentejo muitos membros da família não têm contacto regular com as comunidades cristãs. Nas nossas assembleias dominicais predominam as crianças e as mulheres, sobretudo idosas. Faltam muitos membros da família nesse encontro dominical. Por isso temos de encontrar tempo e meios para nos encontrarmos com esses membros, importantes no agregado familiar e na educação dos mais novos. Aqui se aplica a expressão do Papa Francisco de que temos de ser uma Igreja em saída, uma Igreja que vai ao encontro das pessoas, dos idosos, dos doentes, dos pais sem tempo e sem ritmo dominical. Como? Precisamos de ser criativos.
Recentemente, participando num evento social, tomei um pouco mais de tempo para falar com alguns participantes, sobretudo homens, que normalmente não se encontram com padres e muito menos com bispos. Pois ouvi testemunhos de vida que me comoveram e que normalmente não se escutam nem veem nas nossas assembleias dominicais.
Afinal há muitas atitudes de fé naqueles com quem normalmente não nos encontramos. Como fomentar estes encontros e ajudar as pessoas e as famílias no seu desenvolvimento e apoiá-las nas suas potencialidades educativas e sociais?
Temos muitas oportunidades desperdiçadas. Queremos sempre falar e fazer discursos moralistas sem escutar as pessoas, com os seus problemas profundos e sabedoria natural. Reuniões de pais, preparação de baptismos, preparação de casamentos, de primeiras comunhões, de crismas, de ajuda social, etc. Mais que ensinar, precisamos de escutar, perguntar, ouvir as suas respostas e ajudá-los a escutar a Palavra de Deus mais que a nossa. Um gesto, um testemunho vale mais que mil palavras, diz-se.
Também na família e na escola precisamos de escutar os mais novos e ajudar-nos mutuamente a encontrar as respostas. Esta é a pedagogia de Jesus, como ouvimos no evangelho do jovem que foi perguntar-lhe o que é preciso para alcançar a vida eterna (Mc 10, 17 ss).
Acompanhar, escutar, perguntar, ouvir e descobrir os caminhos da vida, na entreajuda fraterna, familiar e eclesial são sabedoria e património fundamental para aprofundarmos as nossas raízes e relações e ajudarmos quem está em crise pessoal ou comunitária.



Outros artigos de D. António Vitalino Dantas

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sexta, 20/07/2018
Aljustrel promove
cultura de Espanha
A cultura e a gastronomia de Espanha vão estar em destaque na terceira edição do "Festicante", festival que a Câmara Munuicipal de Aljustrel promove de 14 a 16 de Setembro sob o lema "Nós e o Mundo".
07h00 - sexta, 20/07/2018
Beja Retail Park cria
116 postos de trabalho
A Sonae inaugura nesta sexta-feira, 20 de Julho, o novo Beja Retail Park, investimento onde vai ter sete lojas das suas insígnias e que permitiu a criação de 116 novos postos de trabalho na cidade.
07h00 - sexta, 20/07/2018
JS aplaude financiamento
para Secundária de Castro
A Juventude Socialista de Castro Verde veio a público felicitae a Câmara Municipal local "pelo trabalho desenvolvido no sentido de conseguir assegurar o financiamento para as obras de requalificação" da Escola Secundária.
07h00 - sexta, 20/07/2018
FACECO 2018
mostra o melhor
de Odemira
Arranca nesta sexta-feira, 20, mais uma edição da Feira das Actividades Culturais e Económicas do Concelho de Odemira (FACECO), que vai decorrer em São Teotónio até domingo, 22, dando a conhecer o melhor que se faz e produz no concelho odemirense, da pecuária à agricultura, passando pelo turismo, pelo artesanato e (naturalmente) pela gastronomia.
07h00 - quinta, 19/07/2018
População de Odemira
apresenta 73 propostas no
"Orçamento Participativo"
De projectos ligados ao desporto ou às novas tecnologias a ideias que promovem a saúde ou visam a requalificação de espaços colectivos, são 73 as propostas apresentadas pela população do concelho de Odemira na edição deste ano do "Orçamento Participativo" (OP).

Data: 13/07/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial