11h12 - quinta, 08/10/2015

Abstenção venceu
legislativas 2015


Carlos Pinto
E no final da noite eleitoral de 4 de Outubro quem venceu as Legislativas 2015 não foi a coligação Portugal â Frente, de PSD e CDS (que manteve a maioria, ainda que minoritária), muito menos o PS (que aumentou a sua votação face a 2011, mas ficou muito longe da vitória), nem sequer o Bloco de Esquerda (que obteve o melhor resultado da sua história) ou a CDU (que conquistou mais um deputado, ainda que ultrapassada à esquerda pelo Bloco). A grande vencedora das eleições foi mesmo… a abstenção!
Num domingo cinzento, com alguma chuva e muito futebol na TV, foram votar 5.380.246 portugueses num universo total de 9.439.711 eleitores inscritos. Resumindo, ficaram em casa mais de quatro milhões de cidadãos, que preferiram o conforto do lar ao dever de votar – contas feitas, mais que o conjunto de todos os que votaram PSD/ CDS-PP, PS e Bloco de Esquerda. Resultado final: a taxa de abstenção foi de 43%, a mais alta de sempre em eleições legislativas.
Ora num momento tão decisivo para Portugal e para o nosso futuro colectivo, este é um número que não deve ser desvalorizado ou varrido para debaixo do tapete da nossa democracia. Porque ele é preocupante e reflecte, acima tudo, o estado a que chegou a relação dos portugueses com a política e com aqueles que são os seus representantes na Assembleia da República. Daí que seja preciso uma mudança entre todos nós. Sobretudo entre os eleitores, que têm de assumir de vez a sua responsabilidade enquanto cidadãos de pleno direito e deixarem de parte o papel de tribunos de café e paladinos de uma justiça alicerçada em manchetes de jornal. Ser cidadão é muito mais que isso. É participar e agir, intervir e exigir. Caso contrário, a democracia é como um tigre de papel. Forte na aparência, mas frágil na essência.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quarta, 20/09/2017
ACOS cria serviço
para venda de ovinos
Ganhar escala, garantir a segurança comercial e a continuidade da ovinicultura, bem como contribuir para as exportações, são os principais objectivos do novo Serviço de Comercialização de Ovinos da ACOS.
07h00 - quarta, 20/09/2017
Distrital do PSD confia
na vitória em Almodôvar
O Baixo Alentejo é um território tradicionalmente difícil para a direita, mas a Distrital de Beja do PSD encara as próximas eleições Autárquicas com ambição, tendo mesmo a expectativa de ver o partido voltar a ter maioria em Almodôvar, câmara que liderou entre 2001 e 2013.
07h00 - quarta, 20/09/2017
"PS vai ter uma grande
vitória no distrito de Beja"
"O PS vai ter uma grande vitória no distrito de Beja": é esta a convicção da secretária-geral adjunta dos socialistas, que nesta terça-feira, 19, primeiro dia de campanha oficial para as Autárquicas 2017, passou por sete concelhos do distrito de Beja.
07h00 - terça, 19/09/2017
Secretária-geral adjunta
do PS no distrito de Beja
A secretária-geral adjunta do PS vai estar nesta terça-feira, 19 de Setembro, no distrito de Beja, participando em diversas acções de campanha no dia em que arranca oficialmente a campanha para as eleições Autárquicas 2017.
07h00 - terça, 19/09/2017
CDU espera "reforço
eleitoral" nas Autárquicas
Arranca nesta terça-feira, 19 de Setembro, a campanha oficial para as Autárquicas 2017 e a CDU espera ver, nas eleições de 1 de Outubro, a sua posição reforçada no distrito de Beja, onde tem maioria em oito das 14 câmaras municipais.

Data: 15/09/2017
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial