11h04 - sexta, 24/07/2015

Ecologia integral


D. António Vitalino Dantas
A ecologia estuda as relações entre os organismos vivos e o meio ambiente onde se desenvolvem, lemos na encíclica Louvado sejas (n. 138). O ser humano, dotado de capacidades reflexivas, deve pensar e orientar a sua vida, corpo e espírito, em todas as relações, sem excluir nenhuma. Nos capítulos IV e V da encíclica o Papa Francisco menciona e descreve todas essas relações, mostrando a sua importância para a realização plena e harmónica do ser humano.
A ecologia ambiental, económica e social estão interligadas. Nenhuma pode ser excluída em benefício de alguma delas. A exclusão de alguma dessas relações ou de algum membro da nossa sociedade é um empobrecimento da realidade e tem repercussões no bem integral do todo. Por isso, como seres dotados de inteligência, criados à imagem e semelhança de Deus, foi-nos confiado o cuidado de toda a criação. O nosso próprio bem depende do todo que nos envolve.
O desenvolvimento económico, desligado de todos os outros aspectos, procura apenas o maior lucro, o mercado, sem ter em conta o desenvolvimento humano e social e sem preservar o ambiente. A técnica ao serviço da economia causa muitos estragos ao ambiente e lança muita gente para o desemprego. Como já foi dito nestas considerações sobre esta encíclica, o trabalho faz parte da realização da dignidade humana. Um desenvolvimento sem consideração da dignidade da pessoa torna-se desumano. É preciso saber colocar a técnica ao serviço da pessoa e não ao contrário. Já D. José do Patrocínio Dias, o bispo-soldado de Beja, dizia que uma máquina ceifeira tirava o trabalho a 40 pessoas. O que se fez delas? Muitas ficavam nas praças das aldeias à espera que alguém as contratasse. Outras emigraram. E assim começou a desertificação do Alentejo. Hoje, muitas aldeias estão desertas ou apenas habitadas por idosos. Como rejuvenescer a nossa sociedade? Esta encíclica põe a descoberto muitos dos erros do nosso desenvolvimento desumano. Sem apresentar soluções, pois não é essa a missão da Igreja, no entanto alerta os nossos políticos e empresários a não pensarem apenas no progresso económico e financeiro, depredando e degradando os nossos ecossistemas e tratando muitos seres humanos como descartáveis, lançando-os para as bermas do desenvolvimento tecnológico. A cultura e a justiça intergeracional também devem ser respeitadas.
No capítulo V o Papa apresenta algumas linhas de orientação e ação, como o diálogo sobre o meio ambiente na politica internacional, pensando o mundo como a casa comum de todos. Os acordos internacionais precisam de ser levados à prática, tendo em conta os países mais pobres. É preciso por a politica e a economia ao serviço da vida humana e ter em conta o património das religiões no diálogo com as ciências.



Outros artigos de D. António Vitalino Dantas

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sexta, 21/07/2017
Crianças acampam
no Politécnico de Beja
Crianças dos oito aos 10 anos participam esta sexta-feira e sábado, dias 21 e 22, na iniciativa "Acampar com Histórias/Noites Happy Readers", no Politécnico de Beja (IPBeja).
00h00 - sexta, 21/07/2017
PSD: Guido Pires
desiste na Vidigueira
"Motivos de ordem pessoal e familiar": foram estas as razões invocadas pelo médico Guido Pires, 64 anos, para desistir da candidatura pelo PSD à Câmara da Vidigueira nas Autárquicas 2017.
00h00 - sexta, 21/07/2017
Porco alentejano vai chegar ao mercado chinês
De Ourique a Pequim vai meio mundo de distância, mas as duas localidades estão agora bem mais "próximas" após o acordo recentemente estabelecido entre os governos de Portugal e da China.
00h00 - sexta, 21/07/2017
Concelho de Odemira
em festa na FACECO
A grande feira do Litoral Alentejano está à porta! Entre esta sexta-feira e domingo, dias 21 a 23 de Julho, a Feira das Actividades Culturais e Económicas do Concelho de Odemira (FACECO) será o "porto de chegada" de milhares de pessoas que, em São Teotónio, não vão perder o melhor do concelho de Odemira, desde a gastronomia ao artesanato, a força dos sectores agro-pecuário e do turismo, as tradições do cante alentejano e os concertos musicais.
00h00 - sexta, 21/07/2017
Presidente da CM Odemira:
"FACECO é local de negócios"
No dia em que começa mais uma edição da FACECO, o presidente da Câmara Municipal de Odemira, José Alberto Guerreiro, revela ao "CA" a mais-valia de um evento que recebe, todos os anos, milhares de visitantes.

Data: 21/07/2017
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial