11h33 - sexta, 10/07/2015

Caiu o muro de Atenas


Napoleão Mira
No passado domingo, 5 de Julho, a Europa da união monetária como a conhecemos, começou a desmoronar-se. Nada será como dantes! O povo grego, fazendo jus à sua condição de pai da Democracia, deu um lição de coragem e determinação, dizendo NÃO aos tecnocratas centro-europeus, ao mesmo tempo que dizia SIM à sua dignidade e independência.
Embora correndo riscos desconhecidos e incalculáveis face à sua tomada de decisão, a nação helénica deu uma inesperada lição de verticalidade a toda Europa. É claro que existem argumentos sólidos por parte dos credores, mas também não é menos óbvio que os paliativos aplicados a este doente apenas lhe agravaram a doença, tornando-a incurável.
A dívida da Grécia é impagável. Quem o diz não sou eu, são os mais insuspeitos, independentes e reputados economistas mundiais. Logo, este terá de ser o ponto de partida para futuras negociações. Caso se insista num novo resgate nos moldes dos antecedentes, está-se a empurrar com a barriga um problema insanável que, mais tarde ou mais cedo, irá contagiar os países com maiores debilidades como Portugal, Espanha e Itália, só para enumerar aqueles que estão na linha de tiro dos snipers financeiros.
A saída controlada do euro por parte dos gregos poderá ser uma medida inteligente, desafogante para a economia deste país, até porque nunca lá deveriam ter entrado, visto os governos da altura terem ludibriado as contas (com conhecimento das autoridades europeias!) para aderirem à moeda única.
No momento presente, de pouco vale chorar sobre o leite derramado. Leia-se: sobre os euros evaporados dos anteriores resgates. O importante agora é que os tecnocratas europeus aprendam alguma coisa com a lição de coragem que lhes foi dada pela esmagadora maioria de um povo que, com o poder do seu voto, disse: BASTA!!
Ao ver no passado domingo as imagens da Praça Sintagma, lembrei-me de um outro momento histórico que teve lugar a 9 de Novembro de 1989 nas Portas de Brandemburgo. Falo da queda do famigerado muro de Berlim.
Nesta data, 5 de Julho de 2015, os gregos, tiveram a coragem de começar a derrubar um outro muro. O muro da indignidade e da humilhação.



Outros artigos de Napoleão Mira

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
15h32 - quinta, 30/03/2017
Eleições Autárquicas
serão a 01 de Outubro
O Governo marcou hoje as eleições autárquicas para o próximo dia 01 de Outubro, anunciou a ministra da Presidência, Maria Manuel Leitão Marques, após a reunião do Conselho de Ministros.
07h00 - quinta, 30/03/2017
PSD toma decisão sobre
candidatura em Almodôvar
António Sebastião será o candidato do PSD à presidência da Câmara Municipal de Almodôvar nas próximas eleições autárquicas, apurou o "CA" junto de fonte laranja.
00h00 - quinta, 30/03/2017
FPF concedeu
apoio ao Despertar
O Despertar foi o único clube do distrito de Beja a ser beneficiado pelo programa de apoio ao desenvolvimento do futebol lançado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF).
00h00 - quinta, 30/03/2017
Mais sinalização nas
estradas do distrito
A empresa Infra-estruturas de Portugal (IP) acaba de lançar um concurso público visando a renovação e reforço da sinalização vertical da rede rodoviária nacional, no valor de 3,1 milhões de euros.
07h00 - quarta, 29/03/2017
Deputado do PS recusa críticas feitas pelo PSD
O deputado do PS eleito por Beja, Pedro do Carmo, recusa as críticas de que foi alvo por parte da deputada do PSD, Nilza de Sena, e garante que continuará a ser a voz "a voz do Baixo Alentejo".

Data: 17/03/2017
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial