07h00 - quarta, 25/03/2020

Seca "dramática" no Campo Branco

Seca "dramática" no Campo Branco

A dureza das palavras ilustra na perfeição o quadro (quase) negro com que a agricultura do Campo Branco se debate por estes dias. "É uma situação dramática", afirma sem rodeios o presidente da Associação de Agricultores do Campo Branco (AACB), com sede em Castro Verde, para descrever as dificuldades que os homens da lavoura enfrentam face à prolongada seca que afecta o território.
Segundo José da Luz da Pereira, "as culturas de Outono/ Inverno semeadas não vão produzir nada, os fenos nada vão dar e não há pastagens para os animais". "Portanto, é uma situação muito difícil e estamos muito preocupados, porque não vamos colher nada. Além disso, as reservas de fenos, palhas e cereais estão esgotadas. Veja-se que os animais continuam a comer à mão", frisa em declarações ao "CA".
Para este responsável, esta "é uma situação dramática e o culminar de vários anos de seca" no Campo Branco. "Chegámos a um ponto de desespero. E a aflição é de tal maneira grande que os produtores pecuários, que normalmente deixam uma parte do seu efectivo para reprodução, este ano, pela primeira vez na nossa região, estão a vender tudo. O que quer dizer que as dificuldades financeiras são muito grandes e há um desespero por não terem alimentação para dar aos animais", alerta.
Perante esta complicada realidade, os agricultores esperavam que o Ministério da Agricultura já tivesse tomado medidas que pudessem ajudar a minimizar os problemas sentidos. Algo que, até ao momento, não se verificou e que o presidente da ACCB critica.
"Não estamos a ver da parte do Ministério [da Agricultura] qualquer acompanhamento da situação. E isso, para nós, é também motivo de apreensão", nota José da Luz Pereira, lamentando que no seio do Governo impere "uma mentalidade muito grande" que olha para a agricultura de sequeiro e para a pecuária em extensivo como sistemas agrícolas que "tendem a desaparecer".
"Mas nós não exigimos muita água, pois conseguimos trabalhar com o mínimo de água. Só precisamos de ter um mínimo de condições, que não existem perante um clima muito adverso", contrapõe o presidente da AACB.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sexta, 05/06/2020
Demissão na
Câmara de Mértola
O chefe do Gabinete de Apoio aos Eleitos na Câmara de Mértola, Luís Madeira, deixou de exercer funções, depois de decisão judicial ter decretado a incompatibilidade deste cargo com o de presidente da Junta de Freguesia local.
07h00 - sexta, 05/06/2020
CDU de Beja preocupada
com caminhos rurais
Os vereadores da CDU eleitos na Câmara de Beja manifestaram publicamente a sua preocupação com "a instalação de culturas intensivas desordenadas" e a utilização de caminhos rurais "de modo desregrado" no concelho.
07h00 - sexta, 05/06/2020
Combate ao analfabetismo
é prioridade para a APEFA
Combater a elevada taxa de analfabetismo que ainda se regista no Alentejo é uma das grandes prioridades traçadas pelo novo delegado regional do Baixo Alentejo e Algarve da Associação Portuguesa de Educação e Formação de Adultos (APEFA).
07h00 - sexta, 05/06/2020
Odemira vai premiar reabilitação urbana
A Câmara de Odemira tem a decorrer a primeira edição do Prémio de Reabilitação Urbana do Município de Odemira (PRUMO), criado no âmbito do Odemira Reabilita-Programa de Incentivos à Reabilitação do Património Edificado e que visa "distinguir obras nas áreas de reabilitação urbanas, que representem um exemplo de qualidade arquitectónica e contribuam para a valorização do património edificado do concelho".
07h00 - quinta, 04/06/2020
CEBAL vai contratar
quatro novos doutorados
O Centro de Biotecnologia Agrícola e Agro-Alimentar do Alentejo (CEBAL), com sede em Beja, viu aprovada a candidatura ao programa Alentejo 2020 para a contratação de quatro doutorados na área da Transferência de Tecnologia.

Data: 29/05/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial