07h00 - quinta, 19/03/2020

Administrador da EMAS:
"Vamos superar este desafio"

Administrador da EMAS: "Vamos superar este desafio"

Em entrevista concedida na terça-feira, 17, ao "CA", o administrador-executivo da Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMAS) de Beja explica que medidas foram tomadas no seio da empresa para que o serviço de abastecimento de águia continue a funcionar com normalidade. "Temos que estar confiantes. Este é um fenómeno novo, mas seguramente que como outros que enfrentámos no passado, em conjunto iremos superá-lo", vinca Rui Marreiros com optimismo.

Como está a Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMAS) de Beja a gerir internamente a situação da Covid-19?
A EMAS de Beja, enquanto serviço público essencial, acompanha desde muito cedo e ao segundo a evolução da pandemia provocada pelo coronavírus Covid-19. Para o efeito, o plano de contingência da EMAS encontra-se activo, sofrendo as devidas actualizações sempre que se justifique, de forma a garantir o abastecimento de água ao concelho de Beja e toda a gestão das redes de águas sobre a nossa responsabilidade, salvaguardando a segurança e a protecção dos nossos colaboradores e consumidores, que são naturalmente a nossa prioridade. É um grande desafio – mais um – que está a exigir um ajustamento muito rápido relativamente aos padrões de funcionamento normal. Estamos a ter um número crescente de pessoas em casa, com os hábitos diários completamente alterados. Este facto causa, sobre o sistema, uma pressão acrescida do lado da procura e um ajustamento dos sistemas para responder a estas necessidades de funcionamento. Da monitorização que fazemos em permanência há um aumento dos consumos, acompanhado de uma alteração do padrão ao longo do dia.

Quais as principais medidas implementadas?
No actual contexto em que vivemos, o abastecimento de água às populações, mais do que nunca, tem que ser garantido em permanência. Mais do que nunca, um dos nossos lemas, "Antecipamos o futuro", tem aqui um papel decisivo quanto às medidas que é necessário tomar em face de todos os cenários que se podem vir a colocar com a manutenção da situação actual ou o seu eventual agravamento. Neste contexto, e seguindo as orientações da Direcção Geral da Saúde, temos vindo a actuar preventivamente. Aumentámos os níveis de segurança contemplados no plano de contingência da EMAS para o novo coronavírus, de forma a evitar a concentração desnecessária de pessoas, condicionámos o acesso aos nossos serviços de atendimento, reorganizámos todo o serviço operacional com medidas adicionais de reforço da disponibilidade e prevenção, salvaguardando ainda mais a capacidade para actuar em casos urgentes. A implementação do tele-trabalho sempre que as funções o permitam também foi accionado, encontrando-se em implementação a segunda fase. Não menos importante, continuámos a aposta na sensibilização da comunidade, agora com o objectivo de promover a utilização das plataformas digitais como meio de relacionamento connosco. Sob o lema "#fiqueemcasa" e "ajudeAjudar", tentamos passar a mensagem em todos os canais de comunicação possível que é absolutamente fundamental estar em casa, não só por questões de saúde, mas para que nos serviços essenciais nos possamos dedicar ao que realmente interessa nesta fase.

Prestando a EMAS um serviço essencial às populações, que garantias existem para um serviço dentro da normalidade em situação de "estado de emergência"?
Temos que estar confiantes. Este é um fenómeno novo, mas seguramente que como outros que enfrentámos no passado, em conjunto iremos superá-lo. […] As características da nossa actividade já nos obrigam normalmente a níveis de eficácia, de alerta e a tempos de resposta muito ambiciosos. Complementarmente temos sistemas de monitorização que aumentam o nosso nível de controlo. Também as nossas equipas estão preparadas para operar em regime de turnos, cobrindo as 24 horas do dia, e a adoptar mecanismos de disponibilidade e reforço sempre que necessário. O importante nesta fase – e nos próximos tempos – é manter o foco na manutenção do funcionamento da infra-estrutura e na preservação da nossa capacidade operacional ao nível da disponibilidade dos recursos humanos. Em suma, podem contar connosco. Todos temos famílias e sabemos a importância de não falharmos neste momento.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sexta, 20/03/2020
Covid-19: Crédito Agrícola
tem plano de contingência
A Caixa Agrícola de Aljustrel e Almodôvar, que opera nestes dois concelhos e no de Castro Verde, já tem em vigor o seu plano de contingência para mitigar a pandemia da Covid-19, tendo adoptado uma série de medidas preventivas relativas ao funcionamento das suas agências.
09h53 - segunda, 16/03/2020
Somincor suspende ZEP
devido ao Covid-19
A Lundin Mining, proprietária da Somincor, decidiu suspender temporariamente o Projecto de Expansão do Zinco (ZEP) nas minas de Neves-Corvo, no concelho de castro Verde, como medida de prevenção em virtude do surto de coronavírus Covid-19 em Portugal.
07h00 - sexta, 06/03/2020
Somincor teve
menos vendas e
lucros em 2019
As vendas, o lucro bruto e a produção mineira em Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, no ano de 2019 ficaram abaixo dos resultados obtidos em 2018.
07h00 - quinta, 27/02/2020
Futuro da região entusiasma presidente da Caixa de Aljustrel
Enquanto gestor, mas também como cidadão, Orlando Felicíssimo encara "com entusiasmo" o futuro da região onde a Caixa Agrícola de Aljustrel e Almodôvar (CA) opera, ou seja, nos concelhos de Aljustrel, Almodôvar e Castro Verde.
07h00 - quinta, 27/02/2020
"2019 foi o melhor ano
para a Caixa de Aljustrel"
O presidente do conselho de administração da Caixa Agrícola de Aljustrel e Almodôvar considera que o ano de 2019 foi o melhor de sempre para a instituição bancária que opera nos concelhos de Aljustrel, Almodôvar e Castro Verde, com um resultado líquido positivo superior a um milhão de euros.

Data: 20/03/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial