07h00 - quinta, 12/03/2020

Artesã de Odemira
decifra telas históricas

Artesã de Odemira decifra telas históricas

Olhando para "O Enterro do Conde Orgaz" ou "Vista e Plano de Toledo", obras maiores na pintura de El Greco (artista greco-espanhol do século XVI), há muito mais para além dos seus traços de cor e luz fantasmagóricos. Por debaixo surge uma tela de linho, mais grossa que o habitual, padronizada e pouco ou nada referenciada por críticos e historiadores de arte. Mas é precisamente esta camada invisível ao olhar de todos nós, presente nas obras de El Greco (mas também de Ticiano, Caravaggio ou Velásquez), que a neerlandesa Helena Loermans tem vindo a dar a conhecer ao mundo a partir da vila de Odemira.
O projecto "Lab O" nasceu em 2017, quando Helena recebeu no seu atelier a jovem polaca Marta Pokojowczyk, estudante de História de Arte e Pintura, no âmbito do programa "Erasmus Jovens Empreendedores". "Começámos a fazer telas com uma textura mais grossa, diferente, mais complexa que o normal, que é tafetá", recorda a artesã ao "CA".
Até que um dia, continua, uma visitante do atelier falou a Helena sobre o facto de muitos pintores dos séculos XVI e XVII utilizarem, à época, telas com padrões. "Falou-me em pintores espanhóis, e quando fui procurar na Internet encontrei um desenho técnico da tela em que El Greco pintou a sua obra-prima, 'O Enterro do Conde de Orgaz'", revela a tecelã.
Estava assim dado o mote para o "Lab O". "Comecei a reconstruir esse padrão e depois fui pesquisar e descobri que o Ticiano também pintou sobre estas telas, assim como o Caravaggio ou Velázquez… E percebi que no mundo não há ninguém a fazer isto. Mais: a tela como suporte na pintura é sub-estimada. Há muito pouca informação", observa.
Para chegar até ao padrão das telas Helena Loermans recorre à sua formação de analista médica e às imagens de raio-x das pinturas originais que lhe são enviadas pelos museus (ainda recentemente viu aprovado o seu pedido ao Museu do Prado, em Madrid). "É um trabalho que demora bastante tempo. Mas à medida que vamos procurando uma coisa vamos encontrar cada vez mais", diz a tecelã, considerando que este projecto tem a mais-valia de ligar "o artesanato à ciência, à história e ao empreendedorismo".
O trabalho de Helena Loermans sobre estas telas esteve recentemente em exposição em Odemira, no novo espaço CRIAR, da associação de artesãos CACO. Mas desde que Helena e Marta iniciaram este projecto que as suas descobertas já foram apresentadas a diversos conservadores e outros especialistas do mundo nas áreas têxtil e da história da arte, inclusive na conceituada Universidade de Yale, nos EUA.
"A maior parte das pessoas – até dentro deste ramo – não faziam ideia disto. E muita gente até questiona por que será que nunca ninguém se lembrou disto?", frisa, sorridente, Helena Loermans.
Com o "Lab O" a tecelã neerlandesa (e odemirense) espera dar a conhecer a(s) história(s) por detrás das telas. Mas também dar destaque a algo que, na maior parte das vezes, é pouco valorizado pelos artistas. "Sei que há muito investimento, entre os pintores amadores, nas tintas, nos vernizes, nos pincéis… Mas nunca ouvi nenhum dizer alguma coisa sobre a tela. Foi sempre um aspecto sub-valorizado", diz, para logo acrescentar: "Por isso, é claro que gostava de ver os pintores usarem estas telas que estou a reconstruir. Mas também algum artesão ou empreendedor pegar nisto e fazer produção".


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
09h00 - sábado, 09/05/2020
Festival Sudoeste
não se realiza em 2020
A edição de 2020 do Festival MEO Sudoeste, previsto para os dias 4 a 8 de Agosto na Zambujeira do Mar, não se vai realizar, depois de o Governo ter aprovado nesta quinta-feira, 7, em conselho de ministros, a proibição de festivais musicais até 30 de Setembro devido à Covid-19.
09h00 - domingo, 03/05/2020
Aulas de dança
pela Internet
O professor da Escola de Dança da associação Almovimento, com sede em Almodôvar, está a promover aulas de dança à distância, através da página da Academia Dança Mais no Facebook.
08h00 - segunda, 13/04/2020
Grafonola Voadora
& Napoleão Mira
editam álbum de estreia
"Uma aventura literário/musical marcadamente rural, periférica": é desta forma que se pode sintetizar "Lugar Nenhum", disco de estreia do projecto Grafonola Voadora, em que a poesia declamada por Napoleão Mira se junta às canções e acordes musicais de Luís Galrito e às imagens manipuladas por João Espada.
08h00 - sexta, 03/04/2020
CM Aljustrel lança
concurso de fotografia
A Câmara de Aljustrel está a promover o concurso de fotografia online "#DaMinhaCasa", que substitui a habitual "Maratona Fotográfica", que devido à pandemia da Covid-19 não vai realizar-se na data prevista.
07h00 - quarta, 04/03/2020
Feira do Campo
celebra 20 anos
A Feira do Campo Alentejano, promovida pela Câmara de Aljustrel, assinala neste ano o seu 20º aniversário e a autarquia está a preparar uma edição especial e alusiva à efeméride.

Data: 15/05/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial