07h00 - sexta, 20/09/2019

FAABA e PSD criticam
Universidade de Coimbra

FAABA e PSD criticam Universidade de Coimbra

A decisão da Universidade de Coimbra (UC) de retirar a carne de vaca da ementa das suas cantinas a partir de 2020 continua a dar que falar no Baixo Alentejo, com muitas críticas por parte de agricultores e do cabeça-de-lista do PSD.
Em comunicado enviado ao "CA", a Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo (FAABA) diz ter recebido a posição da UC com "profunda indignação", considerando que as "declarações infundadas e alarmistas" do reitor sobre a emergência climática do momento "colocam em causa o desenvolvimento do sector agrícola no seu todo, a sua rentabilidade, o equilíbrio do espaço rural, a produção nacional e a soberania alimentar do país".
"A emergência climática é uma questão científica mas é também política. E pode tornar-se uma emergência social se não forem criados mecanismos que combatam a falácia e a desinformação", sublinha a FAABA, lembrando que "há evidência científica que demonstra os benefícios ambientais e sociais da actividade agrícola no combate à desertificação, ao despovoamento rural e à promoção da biodiversidade nos nossos eco-sistemas".
"Por outro lado, há reconhecidas organizações internacionais a demonstrar que o consumo adequado de carne é benéfico para a saúde", continua a FAABA, que pede "honestidade intelectual" à UC e também critica as declarações públicas do primeiro-ministro sobre o tema. "O primeiro-ministro, mesmo enquanto candidato, deveria defender um sector tão importante e tão relevante em termos económicos, ambientais e sociais como é a pecuária nacional", rematam os agricultores.
Igualmente crítica da decisão da UC é o candidato do PSD em Beja nas Legislativas de 2019. Para Henrique Silvestre Ferreira, é "inadmissível que uma universidade sustentada por todos nós esteja a promover-se no mercado global com meias verdades alarmistas e 'politicamente correctas'".
"Acho inadmissível que uma universidade corte num nutriente sem revelar que outro nutriente o vai substituir. Será que pretende substituir a carne de vaca por cereais, cuja produção tem de ser importada, continuando a aumentar-se a pegada ecológica?", questiona o cabeça-de-lista laranja em comunicado enviado ao "CA".
Ao mesmo tempo, Henrique Silvestre Ferreira pretende ainda saber, entre outras questões, se o ministro da Agricultura "falará ao país sobre o assunto", "reporá a verdade sobre as produções animais e as produções alternativas" e "trabalhará para que o alarmismo não leve outras escolas a abolir carne de vaca".


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sábado, 05/10/2019
Concurso de economia
circular no Baixo Alentejo
Identificar as boas práticas da economia circular nas empresas do Baixo Alentejo e Alentejo Litoral é a grande meta da segunda edição do prémio "Economia Circular nas Empresas do Baixo Alentejo e Litoral", promovido pelo NERBE e pela CCDR do Alentejo.
07h00 - sexta, 20/09/2019
Nova ZAE de
Beja concluída
em Maio de 2020
A infra-estruturação da nova Zona de Acolhimento Empresarial (ZAE) Norte de Beja deverá estar concluída em Maio de 2020, depois de um investimento municipal de 1,7 milhões de euros, tendo já sido atribuídos 20 dos 21 lotes disponíveis na Fase 1 da mesma.
07h00 - quinta, 19/09/2019
Turismo do Alentejo
promove reunião em Beja
A Pousada de Beja recebe nesta quinta-feira, 19 de Setembro, uma das reuniões descentralizadas que a Turismo do Alentejo e Ribatejo está a promover para "rever, debater e preparar" as principais linhas estratégicas do sector no horizonte 2021-2027.
07h00 - quarta, 18/09/2019
MFS com candidatura
a fundos comunitários
para reabrir em Moura
Um grupo empresarial apresentou uma candidatura, na CCDR Alentejo, visando o desenvolvimento de um projecto ligado às energias renováveis e a outras componentes da fileira energética nas instalações da antiga Moura Fábrica Solar (MSF).
07h00 - terça, 17/09/2019
Aljustrel: Empresa que vai plantar
'cannabis' tem novo proprietário
A empresa canadiana The Flowr Corporation concluiu, no início deste mês de Setembro, a aquisição da restante participação de 80,2% do capital da Holigen, a companhia que está a investir cerca de 45 milhões de euros num projecto de produção de cannabis para fins medicinais em São João de Negrilhos, no concelho de Aljustrel.

Data: 11/10/2019
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial