07h00 - quarta, 31/10/2018

Campo Branco já pode exportar
borregos para a Arábia Saudita

Campo Branco já pode exportar borregos para a Arábia Saudita

Os 27 milhões de consumidores existentes na Arábia Saudita, maior potência económica do Golfo Pérsico e uma das principais do mundo, são o novo alvo dos produtores de ovinos e caprinos do Campo Branco. Os governos português e saudita chegaram a acordo para a abertura deste mercado à exportação de animais nacionais, o que o presidente da Associação de Agricultores do Campo Branco (AACB) classifica de "bastante importante" para a região.
"Estas notícias são sempre bem-vindas, porque há mercados que começam agora a abrir-se e que antes não existiam, o que faz com que o produto tenha o escoamento garantido. A abertura de novos mercados é bastante importante para a zona, porque os borregos que produzimos na nossa região têm de ser todos para exportação", diz José da Luz Pereira em declarações ao "CA".
De momento, observa o presidente da AACB, os borregos produzidos no Campo Branco são exportados quase na totalidade para Israel, o que tem permitido "uma grande procura" e que o preço por animal mantenha "um valor razoável em relação aos outros anos". Daí que a abertura de um novo mercado no Médio Oriente deixe antever um crescimento do sector.
"O mercado está garantido e perspectiva-se que haja uma resposta boa dos nossos produtores", afirma José da Luz Pereira, ainda que alerte para as exigência do ponto de vista sanitário deste tipo de exportações. "São mercados muito exigentes, com condições que têm de ser cumpridas rigorosamente, mas que os produtores já se vão habituando a cumprir", nota.
O presidente da AACB espera que este dinamismo, assim como o aumento do potencial exportador do sector, ajude a trazer mais jovens para a actividade agro-pecuária na região. "Estou convencido que o futuro dos pequenos ruminantes está garantido e que vai ter preços muito agradáveis, que vão possibilitar àqueles que se dediquem à produção um futuro, o que é bastante importante para a nossa região", acrescenta.
O acordo entre Portugal e a Arábia Saudita para exportação de ovinos e caprinos para este país árabe foi anunciado no início desta semana, sendo que as empresas interessadas deverão contactar as direcções de Serviços de Alimentação e Veterinária da sua região, por forma a conhecerem os requisitos necessários para darem início à exportação.
Para o secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, "este passo é resultado do fortíssimo investimento na abertura de mercados e na internacionalização por parte deste Governo".


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - segunda, 21/01/2019
Deputado do PS defende exportação de animais vivos
O deputado do PS eleito por Beja defendeu na passada semana, em debate parlamentar e discussão de projectos-lei sobre o tema, que a exportação de animais vivos deve continuar, não sendo necessário alterar a legislação em vigor.
07h00 - sexta, 11/01/2019
Aljustrel investe em novas áreas empresariais
A Câmara de Aljustrel vai investir quase cinco milhões de euros em quatro novas áreas empresariais, num investimento total de quase cinco milhões de euros, que tem comparticipação comunitária, através do programa Alentejo 2020, na ordem dos 4,2 milhões de euros.
07h00 - quinta, 10/01/2019
Baixo Alentejo
recebe 6 milhões
para coesão social
São mais de seis milhões de euros para os municípios do Baixo Alentejo dinamizarem, nos próximos três anos, novos projectos de coesão social para mitigar problemas como o desemprego, a pobreza e o envelhecimento.
07h00 - segunda, 31/12/2018
CM Almodôvar contra
fecho de balcão do BCP
A Câmara de Almodôvar contesta o encerramento, no início de 2019, do balcão local do banco Millennium BCP, considerando que esta decisão "não é do interesse municipal e não serve os interesses da população de Almodôvar".
07h00 - quinta, 27/12/2018
Roubos de azeitona
aumentam no Alentejo
A Olivum-Associação de Olivicultores do Sul, com sede em Beja, está preocupada com o aumento de roubos de azeitona no Alentejo e pede às autoridades policiais um aumento da fiscalização em postos de recepção.

Data: 11/01/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial