07h00 - quinta, 04/10/2018

Presidente da CM Beja: "Queremos dar a conhecer o melhor que Beja tem"

Presidente da CM Beja: "Queremos dar a conhecer o melhor que Beja tem"

No dia em que arranca a feira "Patrimónios do Sul", o presidente da Câmara de Beja explica ao "CA" qual o conceito do novo certame e a sua mais-valia para o concelho (e região). "Entendemos que a feira deve apelar a um conjunto de patrimónios da nossa terra do passado e do presente, para que possamos também projectar melhor o futuro", vinca Paulo Arsénio.

A Rural Beja deu lugar aos "Patrimónios do Sul". Estamos a falar de uma mudança que vai além do nome?
Mudam também alguns conceitos, não muda exclusivamente o nome! Esta tinha sido uma proposta eleitoral nossa, estava no nosso programa e estamos apenas a concretizar aquilo que dissemos. Entendemos que a feira deve apelar a um conjunto de patrimónios da nossa terra do passado e do presente, para que possamos também projectar melhor o futuro. E quando dizemos patrimónios dizemos patrimónios naturais, patrimónios gastronómicos, enoturismos, recursos naturais, avifauna, economia local… Portanto, tudo aquilo que nos caracteriza, de forma a termos uma feira um pouco mais ampla e não exclusivamente centrada – como era a Rural Beja – sobre o mundo rural, porque para isso já temos a Ovibeja. Entendemos que a feira não devia seguir o conceito que estava de alguma forma a encaminhar-se para ser uma segunda Ovibeja e este conceito é mais abrangente.

Que "facetas" de Beja pretendem vincar com este certame?
Como o próprio nome indica, os patrimónios! Vamos ter em destaque a biodiversidade e os patrimónios naturais, os patrimónios gastronómicos mais populares mas também os mais refinados, teremos a caça e pesca, teremos a Beja Brava, teremos o pavilhão institucional com muito artesanato da região, teremos as novas tecnologias no novo espaço Beja Educa – que é dedicado aos mais jovens – e teremos a tradicional ViniPax, que vai destacar os sete produtores [de vinho] do concelho de Beja e mais 40 produtores a nível nacional e internacional, sendo este o maior certame de vinhos do Baixo Alentejo.

Uma das novidades deste evento é precisamente o espaço "Beja Educa". Porquê esta aposta?
Porque a Educação é a maior das apostas do actual executivo da Câmara Municipal de Beja! E com o regadio, com o aeroporto e um conjunto de estruturas em volta da nova agricultura e da dinamização do aeroporto estamos em crer que daqui a uma década ou duas o panorama das profissões no Baixo Alentejo será também significativamente diferente. Portanto, todos estes novos operadores que já estão posicionados no terreno e na economia local acederam ao nosso convite de trazerem para a feira demonstrações com simuladores, viaturas e outros elementos que considerem pertinentes para cativarem e demonstrarem aos mais novos aquilo que pode ser o Alentejo do médio prazo. Tudo isto também com a parceria do CEBAL e do IPBeja. Ou seja, apostamos também na demonstração da ciência, do saber e da tecnologia nesta parte da feira dedicada aos mais novos.

É com eventos desta natureza que Beja se afirmará como "o centro do Sul", como defendeu há um ano em campanha?
É também com este evento anual que isso se consegue! A transformação para que Beja possa ser – turística, cultural e economicamente – cada vez mais um pólo de referência a sul do território faz-se no dia-a-dia, com a constituição de empresas, com a dinamização da economia, com o aproveitamento do aeroporto, com algumas intervenções em espaço público que a Câmara pretende fazer… Isso é que verdadeiramente transforma Beja no 'centro do Sul'. Estes três dias e meio são 'apenas' para dar a conhecer o melhor que temos e aquilo que somos.

Três dias e meio de casa cheia? É essa a sua expectativa?
É essa a expectativa, ainda que isso não dependa muito de nós. Mas estamos muito confiantes que vamos ter uma excelente afluência e que as pessoas vão gostar da feira.

Porque este é um evento que veio para ficar, seguramente?
Veio para ficar! É um evento que vem de anos anteriores, com outras denominações e datas. Entendemos que este conceito é muito abrangente e projecta muito o nosso território. É um conceito que assenta muito na seguinte lógica: são nove feiras dentro de um certame, como se fossem peças de Lego. E o que a Câmara Municipal tem de fazer é que essas peças de Lego, depois de estarem montadas, façam sentido entre si. É isso que estamos em crer que irá acontecer.


Notícias Relacionadas

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - segunda, 10/12/2018
Voluntariado vale
prémio à CM Beja
O Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) atribuiu, no final da passada semana, o prémio "Boas Práticas de Voluntariado Jovem" à Câmara de Beja, em cerimónia realizada em Campo Maior.
07h00 - segunda, 10/12/2018
CM Aljustrel premiada
pela "Rota da Floresta"
A Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) atribuiu à Câmara de Aljustrel uma menção honrosa pela sua participação na actividade "Rota pela Floresta", prémio que será entregue numa cerimónia em Lagoa no próximo mês de Janeiro.
07h00 - domingo, 09/12/2018
Programa "365 Alentejo"
com candidaturas abertas
A Turismo do Alentejo, em parceria com a Agência Regional de Promoção Turística e o Turismo de Portugal, tem abertas até final do ano as candidaturas para a segunda edição do programa "365 Alentejo-Ribatejo", que visa a construção e promoção de um calendário anual de eventos "consistente e coerente".
13h29 - sexta, 07/12/2018
Detido por tráfico de pessoas no Baixo Alentejo
A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem de 40 anos por suspeitas da prática do crime de tráfico de pessoas, anunciou no final da passada semana fonte oficial desta força policial.
07h00 - sexta, 07/12/2018
"Espírito" de Natal
no distrito de Beja
O "espírito de Natal" já chegou ao Baixo Alentejo e até ao final do ano são muitas as actividades programadas pelas autarquias para assinalar a quadra festiva, proporcionar momentos de animação e apelar ao consumo no comércio tradicional local.

Data: 07/12/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial