07h00 - quarta, 11/07/2018

Andebol para todos
no concelho de Odemira

Andebol para todos no concelho de Odemira

Nem todos nascem para ser grandes desportistas, mas o desporto deve estar ao alcance de todos: é esta a máxima que acaba por guiar o projecto "Todos diferentes, todos andebol", que a Cautchú–Associação de Promoção e Desenvolvimento de Desporto tem vindo a dinamizar no concelho de Odemira.
O projecto nasceu da percepção que a associação tem "da realidade social existente no concelho" e tem por objectivo "a igualdade de oportunidades", o "livre acesso ao desporto" e a promoção da "interacção e integração" de pessoas com deficiência na comunidade.
Nesse sentido, a iniciativa permitiu a criação de uma equipa de andebol adaptado para pessoas com deficiência intelectual, numa parceria com a Associação de Paralisia Cerebral de Odemira, Associação de Andebol do Algarve e a ANDDI. E por outro lado, tem possibilitado a integração de crianças e jovens migrantes nas equipas de andebol da Cautchú, contando para tal com a colaboração da TAIPA.
"Acreditamos que o desporto é uma área suficientemente forte para ajudar na integração das crianças e jovens migrantes, tendo como foco a diminuição de barreiras linguísticas, culturais e sociais. Uma bola e duas balizas quebram qualquer barreira, principalmente nas crianças", sublinha ao "CA" o presidente da Cautchú.
De acordo com Pedro Almeida, o projecto tem alcançado resultados bastante positivos. "Na vertente do andebol adaptado já temos o processo em andamento e agora queremos melhorar e criar condições para que mais pessoas possam praticar a modalidade. Na vertente da comunidade migrante ainda não fizemos o trabalho exploratório que queremos fazer, mas ainda assim já nos vão chegando algumas crianças, nomeadamente das comunidades búlgara, nepalesa e indiana", diz.
No caso do andebol adaptado, durante a época desportiva de 2017-2018 foram realizados dois treinos semanais, tendo a equipa participado em torneios de competição. "O objectivo é aumentar o número de praticantes que garanta a possibilidade de participar em competições, quer organizadas pela Federação quer organizadas pela ANDDI", observa Pedro Almeida.
Quanto aos mais novos, o presidente da Cautchú afiança que o projecto pode crescer muito mais. "Existe necessidade e possibilidade da criação de condições para chegar a esta população-alvo, cada vez com maior expressão na comunidade e território.  Assim, vamos avançar para a divulgação junto das comunidades migrantes das actividades e treinos, utilizando projectos que já respondam a esta realidade migrante", como o CLAIM, o Giramundo ou ST-EG6, revela Pedro Almeida.
Para o presidente da Cautchú, o "Todos diferentes, todos andebol" é um projecto ainda com muito futuro. Por isso, "tudo faremos para criar as condições técnicas, logísticas e financeiras, no sentido de evoluirmos e cimentarmos estes dois eixos de intervenção, porque o retorno que se obtém é extremamente gratificante", conclui.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
00h00 - segunda, 16/07/2018
Problemas graves na
Basílica de Castro Verde
Depois de um Inverno e uma Primavera particularmente chuvosos, o estado de degradação da Basílica Real de Castro Verde é cada vez mais evidente e preocupante.
00h00 - segunda, 16/07/2018
Intercidades volta
a Amoreiras-Gare
Cinco de Agosto: é esta a data definida pela empresa Comboios de Portugal (CP) para o início das paragens do Intercidades na estação Amoreiras-Odemira, em Amoreiras-Gare.
00h00 - domingo, 15/07/2018
CDU contra final
da feira RuralBeja
A CDU contesta a decisão da Câmara Municipal de Beja, liderada pelo socialista Paulo Arsénio, de não dar continuidade à feira RuralBeja, que decorria no mês de Outubro.
00h00 - domingo, 15/07/2018
"Heróis da Água" é
sucesso nas escolas
O projecto "Heróis da Água", promovido pela Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMAS) de Beja, voltou a ter uma grande receptividade da comunidade escolar em 2017-2018, passando por cerca de 20 escolas do concelho de Beja.
01h00 - sábado, 14/07/2018
PCP questiona Governo
sobre Linha do Alentejo
O PCP quer saber por que razão o Governo decidiu avançar com os projectos técnicos para a electrificação da Linha do Alentejo apenas no troço entre Casa Branca e Beja, excluindo a restante ligação até à Funcheira e à Linha do Sul.

Data: 13/07/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial