07h00 - terça, 17/04/2018

Seca também
prejudica pecuária

Seca também prejudica pecuária

A grave seca que nos últimos meses afectou a região do Campo Branco também causou impactos significativos na pecuária, nomeadamente ao nível da alimentação e do abeberamento.
"Os anos de seca reflectem-se muito em patologias que aparecem nos nossos animais", admite a médica veterinária Ana Rita Simões, coordenadora do Agrupamento de Defesa Sanitária da Associação de Agricultores do Campo Branco, com sede em Castro Verde.
No que diz respeito à alimentação, explica esta responsável, os maiores problemas são causados pelo facto de a seca impedir que haja disponibilidade de alimentação de boa qualidade nas pastagens.
"Isso acaba por ter um impacto nos bovinos e nos pequenos ruminantes, seja em termos de condição corporal, que vai decaindo à medida que o tempo vai passando e há uma menor disponibilidade alimentar, seja até em termos da questão da reprodução. Como consequência,  temos problemas de fertilidade dos animais e patologias associadas a carências diversas", diz.
Além do mais, acrescenta Ana Rita Simões, existe outro conjunto de patologias inerentes aos períodos de seca. "Nos pequenos ruminantes, por exemplo, temos tido muitos casos de, por haver menor disponibilidade de alimentação, os animais procurarem determinados tipo de ervas que normalmente não comem e que muitas vezes são tóxicas", observa.
Já na questão do abeberamento, a seca afectou sobretudo a qualidade da água existente no Campo Branco para o gado. "Temos tido aqui casos de intoxicações por cianobactérias, sobretudo nas águas paradas onde existem umas algas que vão deteriorar ainda mais a qualidade da água. E os animais ao ingeri-las sofrem intoxicações… Temos também, por mau abeberamento, situações de aumento de clostridioses nos ovinos, que é uma doença que ataca muito os nossos rebanhos", acrescenta Ana Rita Simões.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sexta, 22/02/2019
"PSD tem que sair
da Praça da República"
O empresário Gonçalo Valente, 38 anos, é o novo presidente da Distrital de Beja do PSD e em entrevista ao "CA" revela as prioridades dos sociais-democratas da região para os próximos dois anos.
07h00 - sexta, 22/02/2019
Resialentejo recolhe
tampas de plástico
A empresa intermunicipal Resialentejo, que opera em oito concelhos do distrito de Beja, estabeleceu um protocolo com a "Coração Delta", do Grupo Nabeiro, para a dinamização do projecto "Dê Uma Tampa".
07h00 - sexta, 22/02/2019
Odemira eleita na Rede
das Cidades Educadoras
A Câmara de Odemira foi reeleita, pela terceira vez, para a comissão coordenadora da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadores, que é constituída por 74 municípios de Norte a Sul do país.
07h00 - quinta, 21/02/2019
EMAS Beja
melhora gestão de
águas residuais
Colocar a cidade de Beja "como uma referência" ao nível do tratamento de águas residuais urbanas é o grande objectivo da Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMAS) de Beja, que vai implementar em 2019 um plano operacional estratégico para alcançar "uma melhoria significativa" na gestão das redes de águas residuais do concelho.
07h00 - quinta, 21/02/2019
PS de Beja elogia
passagem do Museu
Regional para a DRCA
A Concelhia de Beja do PS elogia a transferência do Museu Regional para a tutela da Direcção Regional de Cultura do Alentejo (DRCA), considerando que esta "potenciará Beja e o seu património junto de um público muito mais alargado".

Data: 22/02/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial