07h00 - quinta, 29/03/2018

Presidente da CM Castro Verde: "É necessário valorizar o Mundo Rural"

Presidente da CM Castro Verde: "É necessário valorizar o Mundo Rural"

Em declarações ao "CA", o presidente da Câmara de Castro justifica a criação do festival "Sabores do Borrego" com a necessidade de promover um dos produtos típicos do Campo Branco e valorizar o Mundo Rural. "Entendemos que Castro Verde e todo o território do concelho é um território rural. E nós orgulhamo-nos de estar neste meio e queremos valorizá-lo. É neste sentido que se faz esta aposta", diz António José Brito.

Qual é a mais-valia do novo festival "Sabores do Borrego"?
Em primeiro lugar, achamos que é necessário fazer uma aposta na valorização do Mundo Rural, fazer com que as pessoas tenham noção da acção diária dos produtores pecuários e dos agricultores. E evidentemente que este projecto do festival se funda na necessidade, por outro lado, de, valorizando esse Mundo Rural, atrair visitantes e potenciar o turismo, trazendo mais pessoas a Castro Verde.

Havia necessidade de um evento desta natureza em Castro Verde, que identificasse o seu lado rural, à imagem do que já sucedia noutros concelhos?
Objectivamente é disso que estamos a falar! Ou seja, Castro Verde, na minha opinião, nunca teve a capacidade de perceber que é uma vila num território rural. E muitas vezes não conseguiu não só entender [isso] como fez um caminho que, de algum modo, renegou essa circunstância. Portanto, o nosso compromisso e o nosso objectivo é fazer ao contrário. Entendemos que Castro Verde e todo o território do concelho é um território rural. E nós orgulhamo-nos de estar neste meio e queremos valorizá-lo. É neste sentido que se faz esta aposta.

O ministro da Agricultura vai estar na inauguração. Vai ser-lhe transmitida alguma questão em particular?
Aproveitaremos para sublinhar junto do ministro, como já tivemos oportunidade de o fazer, a importância que tem para o concelho de Castro Verde o passo dado de modo concreto que permitirá em 2021 ou 2022 termos a ligação do Monte da Rocha ao Alqueva, o que será, do ponto de vista do abastecimento público, um passo de grande alcance e extremamente importante.


Notícias Relacionadas

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - terça, 20/08/2019
CEBAL garante doutoramento
a três jovens do distrito
Três jovens investigadores do distrito de Beja que desenvolvem actividades de investigação e desenvolvimento no CEBAL foram contemplados com bolsas de doutoramento apoiadas pela pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).
07h00 - segunda, 19/08/2019
Cuidadores têm um papel essencial
Uma das "chaves" para o sucesso da Unidade Domiciliária de Cuidados Paliativos (UDCP) de Mértola são os cuidadores, por norma os cônjuges e/ou os filhos dos utentes apoiados.
07h00 - segunda, 19/08/2019
Trabalho da Unidade Domiciliária é para continuar
Com nove anos de existência no terreno, a UDCP de Mértola entrou recentemente numa nova fase da sua actuação, com financiamento garantido pelo Portugal 2020, através do POISE.
07h00 - segunda, 19/08/2019
Mértola tem unidade domiciliária
para os cuidados paliativos
A vida de Eugénio Encarnação foi passada em água, navegando noites a fio pela corrente do Guadiana a partir da Penha d'Águia.
07h00 - segunda, 19/08/2019
ART de Castro Verde
premiada pelo BPI/La Caixa
A ART-Associação de Respostas Terapêuticas, de Castro Verde, foi uma das 24 entidades recentemente distinguidas no âmbito da primeira edição do Prémio Infância do BPI/ La Caixa.

Data: 09/08/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial