10h00 - sábado, 30/12/2017

Somincor alerta que greves podem
ter consequências na operação

Somincor alerta que greves podem ter consequências na operação

A Somicor admite que "caso se verifique a continuidade de instabilidade do negócio motivada por greves consecutivas poderão dar-se consequências na operação" na mina de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, "nomeadamente, a suspensão dos investimentos previstos". A posição foi assumida pela empresa em comunicado divulgado nesta sexta-feira, 29 de Dezembro, dia em que decorreu mais uma greve convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM).
No comunicado enviado ao "CA", a Somincor "volta a lamentar a realização de mais um dia de greve após ter chegado a acordo sobre uma posição de princípio com o STIM", constatando, contudo, "os níveis de adesão baixos que se verificaram em todas as acções de greve ocorridas desde Outubro" e que, "em alguns momentos", foi "possível retomar a actividade de algumas áreas de produção".
"Congratulamo-nos pelo ambiente pacífico que foi possível garantir, apesar dos inaceitáveis constrangimentos impostos aos colaboradores que pretenderam exercer o seu direito ao trabalho. O acesso à mina foi dificultado, tendo alguns colaboradores sido vítimas de uma conduta repressiva, sujeitos a ofensas e intimidações que não consideramos toleráveis", acusa ainda a empresa.
A Somincor acrescenta igualmente que a proposta de um novo horário de trabalho para os trabalhadores de fundo da mina, "previamente aceite por mais de 60% dos mineiros e até agora rejeitada pelo STIM, é aquela que melhor compatibiliza os interesses das partes", garantindo manter-se "atenta às necessidades dos seus colaboradores" e procurando, "por via do diálogo construtivo", alcançar "um acordo entre as partes com vista à normalização das relações laborais".
"Até um acordo ser concretizado, a proposta avançada para trabalhadores de fundo da mina não será posta em prática. Por outro lado, relativamente aos trabalhadores das lavarias, a proposta da Somincor de antecipação de planos de reforma, que nunca fez parte do objecto de negociação inicial com o STIM, avançará em Janeiro de 2018", afirma a empresa, para concluir: "Caso se verifique a continuidade de instabilidade do negócio motivada por greves consecutivas poderão dar-se consequências na operação, nomeadamente, a suspensão dos investimentos previstos".


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sexta, 19/10/2018
Governo apoia projecto do zinco da Somincor
O Governo já aprovou a minuta do contrato fiscal de investimento a celebrar entre o Estado e a Somincor, proprietária das minas de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, no âmbito do projecto da empresa para a expansão da produção de zinco, avaliado em 256 milhões de euros.
07h00 - quinta, 18/10/2018
Resialentejo aprova
orçamento de 2019
A empresa intermunicipal Resialentejo aprovou no final da passada semana, em Assembleia Geral, o seu Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos para o próximo ano de 2019, que prevê uma despesa de 4,8 milhões de euros e uma receita de cinco milhões.
07h00 - sexta, 12/10/2018
CM Mértola com bom
desempenho financeiro
A Câmara de Mértola surge no 18º lugar no ranking global dos municípios de pequena dimensão no "Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2017", elaborado pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas.
07h00 - sexta, 28/09/2018
Fábrica das Fortes investe
1,2 milhões para reabrir
A empresa AZPO-Azeites de Portugal já investiu cerca de 1,2 milhões de euros na sua unidade industrial de Fortes, no concelho de Ferreira do Alentejo, no sentido de reabrir a tempo da nova campanha olivícola.
07h00 - terça, 25/09/2018
ACOS faz balanço
positivo de novo serviço
A ACOS-Associação de Agricultores do Sul faz um balanço positivo do primeiro ano de funcionamento do seu novo Serviço Comercial de Ovinos, que garantiu a comercialização para fora do país de mais de nove mil animais.

Data: 12/10/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial