07h00 - terça, 17/10/2017

Que esperam os castrenses
do novo presidente da Câmara?

Que esperam os castrenses do novo presidente da Câmara?

Na noite de 1 de Outubro de 2017 o mapa político de Castro Verde deu uma volta de 180 graus. Acostumados às vitórias consecutivas da CDU, no poder desde 1976, os castrenses assistiram a um triunfo histórico do PS, que conquistou a maioria na Câmara Municipal que era um "bastião" comunista. António José Brito, 47 anos, é agora o novo presidente da autarquia, tomando posse nesta terça-feira, 17, pelas 18h00. Depois seguem-se quatro anos de mandato, com a população a aguardar com expectativa pelo trabalho do primeiro socialista a mandar no Município.
"Espero que faça o trabalho que tem a fazer", assume um habitante da vila, que prefere não dar o nome para a reportagem do "CA". É ainda assim como muita gente que se encontra nas ruas, que em matéria de política local prefere não dizer o que pensa. Não é o caso de Maurícia Afonso, de 36 anos, que lança um desafio ao recém-eleito autarca castrense.
"Que mostre em que situação está o nosso concelho. E depois é preciso dar apoio aos jovens e aos idosos – sobretudo aos idosos, pois acho que a Acção Social está um pouco estagnada no nosso concelho", diz em conversa com o "CA" em pleno centro da vila.
Uma rua abaixo, de regresso das compras e abrigadas à sombra do sol de Outubro, estão três amigas. Nenhuma rejeita falar sobre o futuro de Castro Verde, onde têm vivido (quase) toda a vida. E além da rede de água, há outros problemas que gostariam de ver resolvidos.
"Que [os novos eleitos] arranjem trabalho para aqueles que possam trabalhar e que arranjem as casas que estão caídas e por arranjar – e com tanta gente com falta delas", dispara Maria Guerreiro, 77 anos. "A gente quer é ver o povo melhor", resume Maria Helena, 74 anos, logo interrompida por Cristiana Colaço, 72 anos, que acrescenta: "E que tenham saúde para governar bem".

Surpresa… para alguns!
António José Brito chega à presidência da Câmara Municipal de Castro Verde depois de uma vitória do PS que não deixou margem para dúvidas: os socialistas ganharam as eleições para a autarquia com 1.941 votos (50,86%), garantindo maioria absoluta. A CDU teve 1.618 votos (42,40%) e a coligação PSD/ CDS-PP apenas 98 (2,57%). Um resultado que acabou por não surpreender toda a gente e que permitiu uma mudança que muitos assumem que era desejada.
"Esperava que houvesse mudança e achei muito bom", admite sem complexos Maurícia Afonso. Já Henrique Franco, 83 anos e natural de Casével, pensa o contrário: "A CDU deixou o concelho que é um espelho. Não fiquei nada satisfeito".
Entre uma e outra opinião, as três amigas que regressam das compras ficam-se pela primeira. "Não fiquei muito surpreendida [com a vitória do PS]! Há 40 anos que vivíamos nisto e alguma vez isto tinha de mudar. Eu não queria ir lá para baixo [para o cemitério] sem ver uma mudança" na Câmara, diz mesmo Maria Guerreiro, ao que acrescenta a vizinha Maria Helena: "Ouvia-se tanta coisa, que já se esperava uma coisa destas".


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sexta, 19/10/2018
Governo apoia projecto do zinco da Somincor
O Governo já aprovou a minuta do contrato fiscal de investimento a celebrar entre o Estado e a Somincor, proprietária das minas de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, no âmbito do projecto da empresa para a expansão da produção de zinco, avaliado em 256 milhões de euros.
07h00 - quinta, 18/10/2018
Resialentejo aprova
orçamento de 2019
A empresa intermunicipal Resialentejo aprovou no final da passada semana, em Assembleia Geral, o seu Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos para o próximo ano de 2019, que prevê uma despesa de 4,8 milhões de euros e uma receita de cinco milhões.
07h00 - sexta, 12/10/2018
CM Mértola com bom
desempenho financeiro
A Câmara de Mértola surge no 18º lugar no ranking global dos municípios de pequena dimensão no "Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2017", elaborado pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas.
07h00 - sexta, 28/09/2018
Fábrica das Fortes investe
1,2 milhões para reabrir
A empresa AZPO-Azeites de Portugal já investiu cerca de 1,2 milhões de euros na sua unidade industrial de Fortes, no concelho de Ferreira do Alentejo, no sentido de reabrir a tempo da nova campanha olivícola.
07h00 - terça, 25/09/2018
ACOS faz balanço
positivo de novo serviço
A ACOS-Associação de Agricultores do Sul faz um balanço positivo do primeiro ano de funcionamento do seu novo Serviço Comercial de Ovinos, que garantiu a comercialização para fora do país de mais de nove mil animais.

Data: 12/10/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial