13h09 - terça, 03/10/2017

Adesão de 17% à greve em Neves-Corvo, avança Somincor

Adesão de 17% à greve em Neves-Corvo, avança Somincor

Cerca de 17% dos trabalhadores das minas de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, aderiram à greve de quatro dias convocada pelo STIM e que se iniciou às 6h00 desta terça-feira, 3 de Outubro, adianta ao "CA" fonte oficial da Somincor. Em comunicado, a empresa mineira revela estar a "acompanhar de perto" a greve proposta pelo Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM), garantindo a sua abertura "a um diálogo construtivo e permanente" com trabalhadores e sindicato.
"A postura da Somincor neste processo foi, e é, de manter todas as condições remunerativas e direitos dos colaboradores que estão actualmente a ser praticados, não sendo intenção da empresa retirar, agora ou noutra altura, qualquer remuneração ou outros benefícios, sejam de que natureza forem. Tudo o que está em prática em termos remunerativos ou de direitos será mantido", afiança a empresa.
A Somincor acrescenta que "com vista ao melhor equilíbrio entre a vida pessoal e profissional" dos seus colaboradores, apresentou uma proposta ao STIM "de manutenção do regime de laboração continua com turnos de 10 horas e 42 minutos com uma hora de descanso já incluída, num horário de quatro dias de trabalho seguidos de quatro dias de descanso consecutivos".
"Entre outros benefícios, esta proposta proporcionaria aos colaboradores trabalhar 161 dias por ano, excluindo férias e feriados, e usufruir de 20 fins-de-semana completos (sábado e domingo) por ano, ao contrário dos actuais oito fins-de-semana completos. Esta proposta não foi aceite pelo STIM", acrescenta a Somincor.
A fechar o comunicado, a empresa mineira sediada em Castro Verde afiança continuar empenhada "em garantir boas condições de trabalho" a todos os colaboradores, "bem como a competitividade a longo prazo da operação e a sua relevante posição como empregador e contribuidor para a economia regional e nacional".
"Permaneceremos em diálogo com os trabalhadores e com aqueles com quem trabalhamos nesta situação. A nossa prioridade é assegurar que quem pretende trabalhar durante o período de greve o possa fazer de forma segura e com a menor perturbação", remata.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
00h00 - domingo, 15/07/2018
CDU contra final
da feira RuralBeja
A CDU contesta a decisão da Câmara Municipal de Beja, liderada pelo socialista Paulo Arsénio, de não dar continuidade à feira RuralBeja, que decorria no mês de Outubro.
00h00 - domingo, 15/07/2018
"Heróis da Água" é
sucesso nas escolas
O projecto "Heróis da Água", promovido pela Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMAS) de Beja, voltou a ter uma grande receptividade da comunidade escolar em 2017-2018, passando por cerca de 20 escolas do concelho de Beja.
01h00 - sábado, 14/07/2018
PCP questiona Governo
sobre Linha do Alentejo
O PCP quer saber por que razão o Governo decidiu avançar com os projectos técnicos para a electrificação da Linha do Alentejo apenas no troço entre Casa Branca e Beja, excluindo a restante ligação até à Funcheira e à Linha do Sul.
00h00 - sexta, 13/07/2018
Odemira aposta
"na diversidade
económica"
A uma semana do arranque da FACECO, o presidente da Câmara de Odemira, fala ao "CA" sobre os desafios que se colocam ao futuro do maior concelho do país e explica aquela que tem sido a estratégia seguida em termos de desenvolvimento económico.
07h00 - quinta, 12/07/2018
EDP reforça potência
na vila de Ourique
A empresa EDP tem em curso obras de reforço da potência eléctrica na vila de Ourique, problema cuja resolução é reinvindicada "há bastante tempo", revela o presidente da Câmara Municipal local.

Data: 13/07/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial