07h00 - quarta, 19/04/2017

A incrível história do trio
brasileiro do Almodôvar

A incrível história do trio brasileiro do Almodôvar

Apesar de ser um mundo de alegria, com golos e títulos, o futebol também tem o seu "lado negro", faceta que Henrique, Luiz Ricardo e Wagner, atletas brasileiros que representam o Almodôvar, sentiram na pele.
Chegaram a Portugal em 2014 para representar o Estrela de Portalegre, alimentados pelo sonho de ir mais além. Mas a ilusão durou pouco: acabaram com fome, sem dinheiro e abandonados pela empresa "fantasma" de novos talentos que os contratou. E viram-se sinalizados pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras como vítimas de tráfico de seres humanos.
"Foi uma experiência completamente diferente de todas aquelas que já tinha vivido", confidencia ao "CA" o avançado Wagner, de 22 anos. "Por onde passei os clubes sempre me disponibilizaram tudo e aquilo foi algo novo, uma lição de vida. A gente aprende a dar valor às pequenas coisas", acrescenta.
Henrique e Luiz Ricardo partilham a opinião do colega que virou "irmão". "Passámos dificuldades juntos, estamos jogando juntos… A gente virou irmãos", vinca o médio Henrique, 25 anos. "O que a gente passou lá fica para a vida", complementa Luiz Ricardo, 23 anos, que faz todo o flanco direito.
Luiz Ricardo, Henrique e Wagner vivem hoje em Faro, no mesmo apartamento. E partilham ainda mais uma coisa: a camisola do Almodôvar, onde chegaram no início da temporada e redescobriram o prazer do futebol após o pesadelo vivido em Portalegre. "Todos nos receberam muito bem, é tudo amigo. Estamos da melhor maneira possível.", reconhece Luiz Ricardo. "O Almodôvar abriu as portas à gente, acolheu a gente, ajudou-nos em tantas coisas… E a gente redescobriu o gosto pelo futebol. Voltámos a fazer aquilo que gostamos e a ter uma vida normal e tranquila", diz Wagner.
A época tem sido positiva e os três acreditam que o Almodôvar até podia estar na luta pelo título. "Tivemos alguma infelicidade", justifica Henrique. Mas ainda há a Taça do Distrito de Beja [o Almodôvar está nas meias-finais, recebendo o Odemirense] e os três brasileiros já sonham em levantar o troféu. "Espero terminar a temporada com esse título", sintetiza Luiz Ricardo.
Depois virá o final da época e não se sabe qual o destino de Henrique, Luiz Ricardo e Wagner. Até poderão ficar em Almodôvar para 2017-2018, mas os três continuam a alimentar o sonho de ser alguém no mundo do futebol.
"Sei que tenho qualidades e o que tiver de chegar vai chegar. Mas se não chegar, não estou preocupado", revela Henrique. "Quero ser profissional, é o meu maior objectivo. Foi por isso que vim para a Europa", acrescenta Luiz Ricardo. "Desde que cheguei a Portugal que quero chegar à I Liga e jogar num 'time' grande. É por isso que vou lutar", remata Wagner.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quarta, 26/07/2017
Almodôvar: BE contra
privatização da água
O Núcleo do Bloco de Esquerda (BE) de Almodôvar contesta a gestão privada do abastecimento de água, sublinhando que a ameaça de falta de água no concelho acaba por ser o "prémio" para os almodovarenses.
11h00 - terça, 25/07/2017
"Noites em Santiago"
arrancam em Entradas
A vila de Entradas vai estar em festa ao longo desta semana, com mais uma edição das "Noites em Santiago", organizadas pela Junta de Freguesia local e pela Câmara de Castro Verde, em parceria com diversas entidades locais.
07h00 - terça, 25/07/2017
Castro celebra
Batalha de Ourique
Castro Verde assinala esta terça-feira, 25 de Julho, os 878 anos da Batalha de Ourique com duas iniciativas promovidas pela Câmara Municipal e pela Direcção de História e Cultura Militar.
07h00 - terça, 25/07/2017
500 mil euros de investimento
na Mina de São Domingos
A Câmara de Mértola garantiu um financiamento comunitário de 500 mil euros na regeneração urbana da Mina de São Domingos, no âmbito do Plano de Acção Integrado Para Comunidades Desfavorecidas (PAICD).
07h00 - terça, 25/07/2017
Alqueva apoia agricultores no combate à seca
A Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva (EDIA) vai facilitar o acesso à água nas suas infra-estruturas e reservatórios para abeberamento de gado e rega de emergência de culturas.

Data: 21/07/2017
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial