00h00 - segunda, 13/03/2017

Seca complica campanha
de rega no Baixo Alentejo

Seca complica campanha de rega no Baixo Alentejo

A campanha de rega para 2017 poderá estar em risco em alguns perímetros do Baixo Alentejo, depois do terceiro ano consecutivo de precipitação inferior ao normal, revela ao "CA" a Federação Nacional de Regantes (Fenareg).
De acordo com a Federação, é na bacia hidrográfica do Sado que ocorrem os registos mais críticos, com volumes armazenados úteis nas albufeiras de Odivelas (concelho de Ferreira do Alentejo) e do Roxo (Aljustrel) de 6% e 10%, respectivamente". Já o perímetro de rega de Campilhas, em parte servido pela barragem do Monte da Rocha (Ourique) também apresenta "limitação hídrica para a campanha de rega deste ano".
"Estão condicionados 30.000 hectares de culturas regadas que poderão ficar sem água na campanha de rega deste ano", afiança a Fenareg em comunicado, reconhecendo que a solução "é o reforço de água das albufeiras através do sistema de Alqueva, onde existe disponibilidade hídrica", o que já sucedeu na anterior campanha.
"No entanto, a viabilidade desse recurso continua por definir. A falta da legislação que estabelece o preço da água a estas situações condiciona a decisão dos agricultores", continua a Federação, que levou recentemente o tema do preço da água de Alqueva ao Ministério da Agricultura.
"Das nossas intervenções e propostas resultou a promessa do ministro da Agricultura, de baixar o preço da água no primeiro trimestre de 2017, notícia que esperamos seja conhecida em breve e que garanta a viabilidade do reforço às albufeiras dos perímetros confinantes", conclui a Fenareg.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quarta, 20/09/2017
ACOS cria serviço
para venda de ovinos
Ganhar escala, garantir a segurança comercial e a continuidade da ovinicultura, bem como contribuir para as exportações, são os principais objectivos do novo Serviço de Comercialização de Ovinos da ACOS.
07h00 - terça, 19/09/2017
Greve vai avançar nas
minas de Neves-Corvo
Está decidido: os trabalhadores das minas de Neves-Corvo vão fazer uma greve de quatro dias, entre as 6h00 de 3 de Outubro e as 6h00 de 7 de Outubro, para reivindicar "o fim do regime de laboração contínua no fundo da mina" e pela "humanização dos horários de trabalho".
00h00 - domingo, 17/09/2017
Trabalhadores de Neves-Corvo reúnem em plenário
Os trabalhadores da mina de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, reúnem neste domingo, 17 de Setembro, em plenário, depois do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM) e a Somincor não terem ainda chegado a acordo sobre os novos horários a aplicar a quem trabalha no fundo da mina.
00h00 - sexta, 15/09/2017
Greve "à vista"
nas minas
de Neves-Corvo
Greve à vista em Neves-Corvo! A administração da Somincor e o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM) voltaram a reunir esta quarta-feira, 13, mas continuam sem acordo sobre os novos horários de trabalho a implementar na mina do concelho de Castro Verde.
07h00 - quarta, 13/09/2017
Somincor e sindicato
reúnem em Neves-Corvo
A administração da Somincor e representantes do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM) reúnem esta quarta-feira, 13, em Neves-Corvo.

Data: 15/09/2017
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial