01h00 - quinta, 09/03/2017

PS indignado com nomeação
de nova administradora do PCP
na empresa Águas do Alentejo

PS indignado com nomeação de nova administradora do PCP na empresa Águas do Alentejo

"Indignação e discordância" – A Federação do PS do Baixo Alentejo está contra e não aceita o processo de reorganização dos corpos sociais da Associação de Municípios para a Gestão da Água Pública (AMGAP) que, segundo acusam, foi "apresentada e imposta pela maioria de municípios da CDU" que integram esta associação.
Segundo apurou o "CA", em causa está "a criação de um novo lugar de administrador-executivo remunerado", que a maioria dos autarcas da CDU aprovou, com "a apresentação de um nome candidato e a distribuição do respectivo currículo para o preencher". Diversas fontes asseguraram ao "CA" que esse novo administrador, indicado pelos autarcas da CDU para a administração, é Susana Sobral Ramalho, antiga gestora da RESIALENTEJO e, antes disso, da ARECBA.
Segundo os autarcas socialistas, que votaram contra a alteração dos corpos sociais, a escolha da nova administradora implica, com salários e custos associados, "encargos anuais superiores a 200 mil euros". Um quadro com que não concordam, alertando que, neste momento, "não há necessidade de mais nenhum administrador-executivo, pois não há falhas executivas" na empresa Água Públicas do Alentejo (AgDA).
"O custo elevado que terá esta opção leva a encarecer a tarifa, e por conseguinte, a fazer com que o consumidor tenha que pagar mais" na factura da água, garante o PS do Baixo Alentejo, vincando também que, "a apenas sete meses de eleições autárquicas, onde alguns dos actores [eleitos] mudarão", não devem ser "tomar medidas que condicionem as gestões futuras, dado que o mandato desta administração durará três anos".
O PS termina a sua posição sobre a matéria advertindo que "os baixo-alentejanos não têm de pagar um novo administrador por motivações político-partidárias" e que é, criticam, "uma opção puramente por favor partidário".


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quinta, 21/09/2017
Franceses instalam
fábrica em Messejana
A empresa francesa Moustikit, que produz redes mosquiteiras para janelas e portas, vai avançar com um projecto industrial nas antigas instalações de uma fábrica de mobiliário na vila de Messejana, concelho de Aljustrel.
07h00 - quarta, 20/09/2017
ACOS cria serviço
para venda de ovinos
Ganhar escala, garantir a segurança comercial e a continuidade da ovinicultura, bem como contribuir para as exportações, são os principais objectivos do novo Serviço de Comercialização de Ovinos da ACOS.
07h00 - terça, 19/09/2017
Greve vai avançar nas
minas de Neves-Corvo
Está decidido: os trabalhadores das minas de Neves-Corvo vão fazer uma greve de quatro dias, entre as 6h00 de 3 de Outubro e as 6h00 de 7 de Outubro, para reivindicar "o fim do regime de laboração contínua no fundo da mina" e pela "humanização dos horários de trabalho".
00h00 - domingo, 17/09/2017
Trabalhadores de Neves-Corvo reúnem em plenário
Os trabalhadores da mina de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, reúnem neste domingo, 17 de Setembro, em plenário, depois do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM) e a Somincor não terem ainda chegado a acordo sobre os novos horários a aplicar a quem trabalha no fundo da mina.
00h00 - sexta, 15/09/2017
Greve "à vista"
nas minas
de Neves-Corvo
Greve à vista em Neves-Corvo! A administração da Somincor e o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM) voltaram a reunir esta quarta-feira, 13, mas continuam sem acordo sobre os novos horários de trabalho a implementar na mina do concelho de Castro Verde.

Data: 15/09/2017
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial