00h00 - sexta, 03/03/2017

Somincor com lucro de 66,7 milhões de euros

Somincor com lucro de 66,7 milhões de euros

A Somincor – Sociedade Mineira de Neves-Corvo fechou o ano de 2016 com um lucro ligeiramente acima dos 66,7 milhões de euros (o equivalente a 70,5 milhões de dólares à taxa de câmbio a 1 de Março, dia de fecho desta edição do "CA"), menos cerca de 700 mil euros face ao valor registado em 2015.
De acordo com relatório anual apresentado no passado dia 22 de Fevereiro pela Lundin Mining, multinacional sueco-canadiana proprietária da empresa que explora a mina no concelho de Castro Verde, em 2016 saíram de Neves-Corvo um total de 46.557 toneladas de concentrado de cobre (menos 17% que em 2015) e 69.527 toneladas de zinco (mais 12% que no ano anterior), valores que ficaram ligeiramente abaixo das estimativas de produção previstas para o último ano. A Somincor produziu ainda pouco mais de 4.000 toneladas de chumbo e 1.242 toneladas de prata.
Esta produção permitiu à empresa de Neves-Corvo fechar o ano com pouco mais de 266 milhões de euros em vendas – abaixo dos 276,4 milhões registados em 2015 –, sendo que 176,6 milhões são referentes ao cobre, 81,6 milhões ao zinco e o restante ao chumbo e prata. Todas estas vendas foram para o estrangeiro.
Já os ganhos operacionais (total de vendas, menos custos operacionais e despesas gerais e administrativas) ficaram-se pelos 66,7 milhões de euros, também abaixo dos 67,4 milhões de dólares registados no ano anterior. Mas ao contrário do que aconteceu em 2015, em 2016 a Somincor não teve prejuízo em nenhum trimestre, sendo que entre Outubro e Dezembro apresentou mesmo os melhores resultados do ano: 25,8 milhões de euros de lucro.
Entre as suas seis minas espalhadas pelo mundo, a Lundin Mining registou em 2016 um total de vendas de cerca de 1,4 biliões de euros, cabendo a Neves-Corvo 18% desse valor. Um resultado assinalável, uma vez que acima da mina baixo-alentejana só mesmo a de Candelária, no Chile, responsável por 55% das vendas totais do grupo.
Para 2017, a Somincor prevê produzir entre 41.000 e 46.000 toneladas de cobre e 72 mil a 77 mil toneladas de zinco.


Notícias Relacionadas

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sexta, 15/06/2018
Cimeira de Negócios
da CPLP em Beja
Captar novos investimentos para a região e abrir "novas portas" aos empresários do Baixo Alentejo são as metas da Cimeira de Negócios que a União de Exportadores (UE) da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) promove nesta sexta-feira e sábado, 15 e 16 de Junho, na cidade de Beja.
07h00 - sexta, 15/06/2018
IAPMEI ordena fecho
de fábrica das Fortes
O conselho directivo do Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas Industriais (IAPMEI) já ordenou a suspensão, por seis meses, da actividade da fábrica de bagaço de azeitona na aldeia de Fortes (Ferreira do Alentejo).
07h00 - quarta, 13/06/2018
PS quer valorização
do aeroporto de Beja
A Federação do Baixo Alentejo (FBA) do Partido Socialista defende que o aeroporto de Beja é um "importante activo" da região, "que deve ser valorizado e promovido".
07h00 - terça, 12/06/2018
Caixa Geral de Depósitos
pretende fechar balcão de Colos
A Caixa Geral de Depósitos (CGD) deverá encerrar no início de Julho o seu balcão na vila de Colos, no concelho de Odemira, medida que está já a ser bastante contestada pela população local e pelas concelhias do PS e do Bloco de Esquerda.
07h00 - segunda, 11/06/2018
Beja recebe o primeiro
de três voos turísticos
Os operadores turísticos Soltour e Jolidey, em parceria com a companhia aérea Air Horizont, promovem nesta segunda-feira, 11 de Junho, o primeiro de três voos turísticos entre Beja e Tenerife (Espanha).

Data: 15/06/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial