00h00 - sexta, 29/01/2016

Leonel Cameirinha:
"Beja não está a crescer"

Leonel Cameirinha: "Beja não está a crescer"

Quase a completar 90 anos e sempre muito atento à vida social e política da sua cidade e da região, Leonel Cameirinha não esconde algum desencanto com os dias que vivemos.
Em entrevista ao "CA", o Comendador lamenta igualmente o estado em que se encontra a capital do Baixo Alentejo.
"Vejo outras cidades a crescer e em Beja isso não acontece. Vejo isso com muita tristeza", diz.

Dentro de dois meses faz 90 anos. Como é que se sente?
É já muito ano! Mas não há dúvida que ainda tinha mais coisas para fazer se a vida fosse normal. Tive grande gosto em fazer muitas coisas em várias áreas na minha cidade. Na parte automóvel tive a sorte de as pessoas gostarem das marcas que tinha e consegui fazer sempre bons negócios e dar empregos a centenas de pessoas. Mas agora… os 90 anos pesam!

Tem uma história repleta de coisas boas.
A história da minha vida é linda. Tive amigos em todo o mundo e, normalmente, quando viajava em negócios, "era a estrela da companhia" [risos]. Nós eramos a empresa que mais vendia em quase todas as marcas quando eram feitos os cálculos das vendas em relação directa com a população. Eu era o "menino bonito" das marcas todas e ainda hoje muita gente me telefona a recordar esses tempos.

Acha que Beja reconhece aquilo que fez durante etas décadas?
Eu acho que fiz muito pela cidade! Fui das pessoas que mais contribuiu e procurou dar riqueza a Beja, seja na criação de negócios e de empregos ou na dinamização da economia. Sinto que cumpri o meu dever e trabalhei sempre muito para isso. Foram muitos anos de trabalho, mas hoje estou desgostoso porque nem tudo me corre bem com algumas pessoas da minha família, para quem trabalhei a vida inteira. Não merecia isto… que me tira muitas horas de sono!

Mas falemos da sua cidade. Como é que a encara hoje?
Não está a crescer! Está estacionada, com diminuição da população e da natalidade. Isto preocupa-me e eu gostaria que a situação fosse invertida. Devia haver um esforço de todos e especialmente da Câmara para mudar isto. Mas o Governo também tem obrigações nesta questão e uma palavra a dizer. Só com um esforço de todos poderemos mudar esta situação.

Por que é que a economia tem tanta dificuldade em dinamizar-se aqui?
Temos falta de iniciativa e de vontade. Não há intenções de criar bons negócios e, muito provavelmente, escasseia o dinheiro para investir. Não vejo empresários preocupados com essa situação e, mesmo em termos políticos, as três principais forças [PCP, PS e PSD] não estão a ajudar muito. Vejo outras cidades a crescer e em Beja isso não acontece. Vejo isso com muita tristeza! Se não houvesse aqui o Regimento [de Infantaria] e o Instituto Politécnico, Beja era quase zero…

Por que é que cidade não foi capaz de dar o salto?
Porque as pessoas não quiseram… ou não souberam! Eu fiz aquilo que pude e cumpri a minha obrigação.

Não acha que a agricultura está a ajudar muito a economia?
A agricultura tem andado para a frente com projectos muito bons. Ainda há dias fui à zona da Zambujeira do Mar e visitei uma exploração com muita qualidade. Mas a agricultura cria poucos postos de trabalho e sem emprego não conseguimos mudar isto! Precisamos de investimentos que criem emprego e tragam pessoas para aqui.


Notícias Relacionadas

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sexta, 19/10/2018
Governo apoia projecto do zinco da Somincor
O Governo já aprovou a minuta do contrato fiscal de investimento a celebrar entre o Estado e a Somincor, proprietária das minas de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, no âmbito do projecto da empresa para a expansão da produção de zinco, avaliado em 256 milhões de euros.
07h00 - quinta, 18/10/2018
Resialentejo aprova
orçamento de 2019
A empresa intermunicipal Resialentejo aprovou no final da passada semana, em Assembleia Geral, o seu Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos para o próximo ano de 2019, que prevê uma despesa de 4,8 milhões de euros e uma receita de cinco milhões.
07h00 - sexta, 12/10/2018
CM Mértola com bom
desempenho financeiro
A Câmara de Mértola surge no 18º lugar no ranking global dos municípios de pequena dimensão no "Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2017", elaborado pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas.
07h00 - sexta, 28/09/2018
Fábrica das Fortes investe
1,2 milhões para reabrir
A empresa AZPO-Azeites de Portugal já investiu cerca de 1,2 milhões de euros na sua unidade industrial de Fortes, no concelho de Ferreira do Alentejo, no sentido de reabrir a tempo da nova campanha olivícola.
07h00 - terça, 25/09/2018
ACOS faz balanço
positivo de novo serviço
A ACOS-Associação de Agricultores do Sul faz um balanço positivo do primeiro ano de funcionamento do seu novo Serviço Comercial de Ovinos, que garantiu a comercialização para fora do país de mais de nove mil animais.

Data: 12/10/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial